No olho do furacão

Dias difíceis para a cadeia Primark, que esteve no centro de uma polémica enfatizada pelos media por causa de um biquini com enchimento destinado a meninas até aos sete anos. A retalhista britânica foi também alvo de duras críticas por parte da organização Children’s Society, que a acusou de «promover a sexualidade prematura». A empresa retirou imediatamente a linha de venda, apresentou desculpas aos clientes que tinha eventualmente ofendido e afirmou que vai doar os lucros obtidos com a venda do gama para uma organização de beneficência infantil. «Fizemos uma pesquisa e concluímos que as pressões comerciais para a sexualidade prematura e as campanhas publicitárias sem escrúpulos estão a prejudicar as crianças», revelou Penny Nicholls, directora da Children’s Society. Segundo Nicholls, há indícios de que os adultos acham que as crianças estão mais materialistas do que as de gerações passadas e os próprios menores sentem-se pressionados a acompanhar as últimas tendências da moda. «Precisamos de uma mudança significativa no coração da sociedade, onde os adultos passem a defender valores superiores», afirmou a directora da Children’s Society. O líder conservador britânico, David Cameron, também foi impelido a manifestar-se e qualificou a venda deste tipo de produto a crianças como uma vergonha para a sociedade materialista dos dias actuais. «As empresas deveriam assumir alguma responsabilidade e parar com este tipo de coisas», sublinhou o político em entrevista à BBC. A polémica acabou por se estender a outros retalhistas britânicos que propõem produtos análogos e se viram obrigados a “rever” a sua oferta. As suas respostas surgiram na sequência das revelações do jornal The Sun, que afirmou que numerosas lojas estavam a vender roupa que «sexualizava» as meninas. Tesco, Next e Tammy (BHS) foram acusadas de vender biquinis e sutiãs com enchimento destinados a crianças e, de imediato, reagiram, retirando de venda as referidas linhas e prometendo estar mais atentas aos produtos propostos para o segmento infantil.