New Cotton Project apresenta conclusões

O projeto, que contou com a portuguesa Inovafil entre os parceiros, cumpriu o seu objetivo de demonstrar que a reciclagem química pode ser uma solução para uma indústria têxtil circular.

Apresentação na Première Vision, com Sophie Van Kol, Rui Martins e Aude Penouty

O projeto, liderado pela finlandesa Infinited Fiber Company, tinha como meta demonstrar a possibilidade de criar uma cadeia de valor circular para a produção comercial de vestuário. O consórcio, que integrou diferentes atores europeus, incluindo a portuguesa Inovafil, trabalhou na recolha e seleção de têxteis em fim de vida e na sua conversão para fibras celulósicas regeneradas Infinna através da tecnologia desenvolvida pela Infinited Fiber Company.

As fibras foram fiadas e os fios usados na produção de diferentes tecidos e malhas, que foram usados para produzir um fato de treino assinado por Stella McCartney para a Adidas e um casaco estampado e jeans comercializado pela H&M.

Rui Martins

«Este projeto provou que é possível fazer produtos de alta qualidade a partir de resíduos», sublinha Rui Martins, CEO da Inovafil, que esteve na edição de fevereiro da Première Vision a apresentar o projeto. «Para nós, é, evidentemente, muito importante estar envolvido em algo que estava a começar», referiu em Paris, acrescentando que é possível melhorar os resultados. «Com mais uma evolução, o produto vai ter exatamente a mesma qualidade que tem hoje o que é feito com fibras virgens», acredita.

Ao Portugal Têxtil, Rui Martins afirma que a reciclagem química, nomeadamente a desenvolvida pela Infinited Fiber Company, da qual a empresa portuguesa continua a ser parceira, garantirá a circularidade. «O processo é semelhante à reciclagem do papel. Obviamente que a parte têxtil tem duas questões: a composição, que hoje em dia está limitada a materiais ricos em algodão, e as quantidades. Mas não tenhamos dúvidas de que é o futuro», salienta o CEO da Inovafil.

Fatores para escalar a reciclagem têxtil

Em comunicado, o consórcio do New Cotton Project destaca os principais fatores que considera fundamentais para escalar, com sucesso, a reciclagem têxtil até à fibra.

O primeiro é o desenvolvimento de novas formas de colaboração e intercâmbio aberto de conhecimento entre diferentes atores para além das cadeias de aprovisionamento tradicionais, a começar no design.

Inovação tecnológica e desenvolvimento de infraestruturas para a recolha, seleção e pré-processamento mecânico de têxteis em fim de vida são igualmente essenciais.

[©New Cotton Project]
O projeto realça que há uma falta significativa de dados disponíveis para apoiar a mudança para uma indústria têxtil circular e que isso está a abrandar o desenvolvimento de soluções sistémicas e incentivos económicos para a circularidade dos têxteis. «Por exemplo, as quantidades de têxteis colocados no mercado são muitas vezes usadas como uma aproximação às quantidades de têxteis pós-consumo, mas os dados disponíveis têm pelo menos dois anos e estão, muitas vezes, incompletos. Pode também haver números de resíduos têxteis diferentes a nível nacional que não se alinham, devido a diferentes metodologias ou anos dos dados», refere.

No geral, «as conclusões do New Cotton Project sugerem que os tecidos que incorporam a fibra Infinna oferecem uma alternativa mais sustentável aos tecidos convencionais de algodão e viscose, mantendo uma performance e qualidades estéticas semelhantes. Contudo, escalar a reciclagem têxtil da fibra à fibra vai continuar a exigir investigação e desenvolvimento em toda a cadeia de aprovisionamento e a necessidade de I&D em sistemas de triagem é crucial», acrescenta o comunicado. «Dentro do processo de reciclagem química, é igualmente importante assegurar uma elevada taxa de recuperação e circularidade de químicos usados para limitar o impacto ambiental do processo», aponta.

A tudo isto junta-se ainda a importância da consciencialização dos cidadãos e uma legislação eficiente.

«O New Cotton Project demonstrou o potencial de fibras recicladas como a Infinna para oferecer uma opção mais sustentável em comparação com algumas fibras tradicionais, mas ao mesmo tempo destacou a importância de abranger, de forma holística, toda a cadeia de aprovisionamento para trazer mais ganhos ao reduzir o impacto ambiental. A investigação e desenvolvimento em curso em toda a cadeia de aprovisionamento é igualmente essencial para assegurarmos que conseguimos entregar têxteis reciclados à escala no futuro», conclui.