ModaLisboa abre novo ciclo

A 51.ª Modalisboa volta a encher a capital de moda entre quinta-feira e domingo, numa edição que marca um ponto de viragem depois do acordo com o Portugal Fashion. No line-up, mais de 30 desfiles, designers e coleções entre as três plataformas de apresentação e o concurso Sangue Novo.

“Multiplex – Um património, muitas vidas” é o mote desta edição, que apresenta as coleções primavera-verão 2019 e passa por novos locais – como o Museu Nacional de Arte Antiga –, com novas iniciativas, novas parcerias e uma série de novos eventos.

A 51.ª edição da ModaLisboa promete abrir um novo ciclo na moda portuguesa, depois do acordo firmado entre a Associação ModaLisboa e a Anje – Associação Nacional de Jovens Empresários (ver Acordo histórico na moda). «Este é o primeiro passo de uma história que se vai começar a construir», afirmou, na altura, Eduarda Abbondanza, presidente da ModaLisboa, ao Portugal Têxtil.

Na prática, o Portugal Fashion deixa de passar por Lisboa, passando a realizar-se totalmente no Porto, entre 18 e 20 de outubro, quatro dias depois da ModaLisboa encerrar a passerelle. Além disso, a designer Alexandra Moura volta a apresentar coleções integrada na ModaLisboa, mas com o apoio do Portugal Fashion. Em sentido contrário, três designers da ModaLisboa irão participar no showroom Brand-Up, uma área que pretende promover comercialmente as marcas junto dos compradores internacionais.

De desfile em desfile

Dino Alves
Filipe Faísca

A passerelle principal do Pavilhão Carlos Lopes vai receber 11 desfiles, incluindo o concurso Sangue Novo. Na sexta-feira, apresentam-se as coleções de David Ferreira, Valentim Quaresma e Ricardo Preto, seguindo-se, no sábado, Cia Marítima, Alexandra Moura “powered by Portugal Fashion”, Aleksandar Protic, Ricardo Andrez e Luís Carvalho e, por último, no domingo, Filipe Faísca, Kolovrat e Dino Alves. Nuno Gama mostrará a sua coleção primavera-verão 2019 no Museu Nacional de Arte Antiga, no dia 13 de outubro, às 14h30.

A plataforma LAB acolhe nove designers no Pavilhão Carlos Lopes e no Lago do Botequim do Rei. Do projeto que visa fomentar o crescimento e a consolidação de jovens designers e marcas de moda emergentes fazem parte os designers David Ferreira, Constança Entrudo, Patrick de Pádua, Imauve, Duarte, Carolina Machado, Andrew Coimbra, Olga Noronha e Gonçalo Peixoto.

Sangue Novo, formato renovado

Mas a 51.ª edição da ModaLisboa traz mais novidades. As regras do Sangue Novo foram alteradas e o concurso passa a ser anual, com duas fases de participação. Destinado a finalistas de cursos superiores de design de moda de escolas nacionais e internacionais e jovens designers em início de carreira, cinco criativos portugueses irão concorrer lado a lado com cinco designers estrangeros, selecionados por um júri composto por Miguel Flor, Alfredo Oróbio e Cláudia Barros.

Nuno Gama

De fora do território nacional chegam Archie Dickens e For All Kind by Saskia Lenaerts, do Reino Unido, Federico Protto, de Itália, Pu Tianqu, da China, e Víctor Huarte, de Espanha. Já Portugal estará representado pelos designers Carolina Raquel, Rita Carvalho, Vítor Antunes, Opiar de Artur Dias e The Co.Re de Inês Coelho e Rachel Regent. As coleções serão apresentadas a 12 de outubro, pelas 18h, no Pavilhão Carlos Lopes. Seis destes designers irão receber um prémio monetário de 1.000 euros para desenvolverem as novas coleções que desfilarão na plataforma Sangue Novo de março de 2019, de onde sairá o vencedor do Prémio ModaLisboa Sangue Novo.

Moda além da passerelle

Luís Carvalho

Porque «a moda na sua generalidade não se esgota nas propostas apresentadas pelos designers e naquilo que vemos na passerelle», em paralelo com os desfiles, a ModaLisboa promove um conjunto de sessões, workshops e debates relacionados com a indústria. Trata-se do Check Point, um novo espaço de diálogo, desenhado para criativos, empreendedores e todo o público profissional do evento, que integra as conferências Fast Talks, instalações e mesas redondas, em paralelo com momentos de networking. O Check Point tem lugar nos quatro dias do evento e contará com cinco sessões, nomeadamente “Portfolio Review”, “Das relações artes & ofícios e moda”, a apresentação do Trend Union, o lançamento do livro: “This is Not A F*cking Street Style Book” de Adam Katz Sinding, o “Q&A Indústria Portuguesa”, “A Música e a sua Importância na Moda” e a “Sneakers Masterclasse”.

As Fast Talks, de entrada livre, juntam no dia 11 de outubro, pelas 18h, seis oradores nacionais e internacionais, na Estufa Fria, para o debate “Fast Talks: Street x Fashion”, que irão refletir sobre a influência do streetwear no design de moda. A conversa, moderada pela atriz Joana Barrios, contará com a presença de Gert Van de Keuken, diretor criativo do Estúdio Edelkoort e colaborador da Trend Union, Raimo Diehl e Anton Zamiatine, que representam a Fila Europa, Adam Katz Sinding, fotógrafo de streetstyle. Pedro Lima, diretor criativo na Partners e fundador do grupo Sneakers Love Portugal, e Namalimba Coelho, assessora de comunicação do Museu Coleção Berardo.

Fotografia, design e ilustração

Ricardo Preto

Na Workstation, à habitual mostra de trabalhos de três fotógrafos selecionados para esta edição – Pedro Leote, Andy Dyo e Frederico Santos –, juntam-se três ilustradoras – Camila Gondo, Mafalda Fialho e Perky Mary – e cinco designers de moda: António Castro, Cristina Real, Filipe Augusto, João Oliveira e Tiago Loureiro. «São pessoas que saíram do Sangue Novo, ainda não estão prontas para o Lab, mas continuam a fazer moda, séries mais pequenas, e, portanto, temos que dar apoio», explicou Eduarda Abbondanza ao Portugal Têxtil. Os designers são convidados a apresentar as suas coleções no kickoff do evento na quinta-feira, das 16 às 18h, na Estufa Fria, e as respetivas coleções estarão disponíveis para venda a partir do dia seguinte na Wonder Room, no Pavilhão Carlos Lopes.

Tal como a Workstation, também a WonderRoom, uma pop-up store com 24 marcas e designers nacionais em áreas como artesanato, têxtil, joalharia, vestuário, acessórios e lifestyle, que irá funcionar das 14 às 22h entre sexta-feira e domingo junto ao Pavilhão Carlos Lopes, tem entrada gratuita.