Moda Outono/Inverno em crise

Segundo Aurelio Calvache, secretário-geral da Federación Valenciana de Comercio, as vendas de artigos da colecção Outono/Inverno caíram mais de 25 por cento, na cidade espanhola de Valência, em comparação com o mesmo período do ano passado. As temperaturas estivais em pleno mês de Novembro podem ser uma das causas, mas alguns comerciantes têm uma visão mais pessimista. Empresas como a Cortefiel, consideram que esta redução do consumo é um reflexo do abrandamento da economia por causa do euro. Vicente Rambla, conselheiro de economia na Comunidade Valenciana, anunciou que “não seria de admirar se tivesse de alterar as suas previsões para este ano”. Há já 17 anos que os termómetros da cidade de Valência não atingiam os cerca de 30 graus que se têm registado durante este mês de Novembro. O sector mais prejudicado com esta alteração climática tem sido o do couro, como afirma Adela del Valle responsável por uma loja de peles. “De há dez anos para cá compram-se menos artigos em pele. A economia não passa por um dos seus melhores momentos e os Invernos têm sido cada vez curtos… a única esperança é que o consumo seja maior devido à tendência das aplicações em pele”. O responsável pela loja da Cortefiel no Nuevo Centro em Valência, afirma que “houve um bom arranque da temporada mas o mês de Novembro tem sido muito mau.” Apesar da crise nem a Mango nem a Zara se sentem afectadas pela baixa de consumo. Ambas mantêm os níveis de venda habituais para esta época do ano. Por seu lado a Asociación Nacional de Grandes Superfícies nem quer ouvir falar de crise e assegura que as suas vendas têm vindo a crescer.