Moda entre as categorias mais procuradas

Mais de metade dos portugueses revela que vai aproveitar as promoções da próxima sexta-feira, nomeadamente para adquirir presentes de Natal. A moda é uma das categorias mais procuradas, entre a tecnologia e os eletrodomésticos.

[©Pixabay-Alterio Felines]

52% dos portugueses tencionam fazer compras amanhã, revela o estudo “Black Friday 2023 – Inflação”, realizado pelo Portal da Queixa, com a maior parte a apontar como principal motivação antecipar as prendas de Natal. Na Black Friday de 2022, apenas 35,6% dos consumidores fez compras.

Ainda assim, 35% admite gastar menos do que em 2022, com 30% a revelar que vai gastar menos de 100 euros e 51% a admitir gastar entre 100 e 500 euros. 42,5% dos inquiridos refere ainda que vai procurar descontos e promoções nesta época, sobretudo para contrariar a inflação.

65% assume que a incerteza económica tem uma influência considerável nas suas decisões de compra neste período e 78% afirma que não vai recorrer às poupanças para comprar durante a Black Friday ou no Natal, algo que apenas 22% admite fazer.

Mais de 56% dos consumidores revela que vai reduzir o gasto em presentes e um em cada três portugueses (34%) tenciona comprar menos prendas este ano.

Nas categorias de produtos mais procuradas pelos consumidores nesta Black Friday surge, em primeiro lugar, a tecnologia (telemóveis, computadores, televisões, etc.), com 21,2% das intenções de compra, seguida da moda (vestuário e acessórios), com 19%, e, em terceiro lugar, eletrodomésticos e utilidades para a casa (18% dos inquiridos). Produtos de beleza e cuidado pessoal (8,6% dos consumidores), livros, música e papelaria (mais de 6%) e mobiliário e decoração (6%).

«Este estudo permitiu-nos aferir que o contexto económico atual e a permanente subida de preços e do custo de vida motivaram a crescente necessidade de poupança por parte dos portugueses e, por este motivo, as promoções da Black Friday são encaradas como uma boa oportunidade», destaca Sónia Lage Lourenço, CEO do Portal da Queixa by Consumers Trust. «Como consequência, este ano assistimos ao aumento do número de consumidores que vai aderir ao evento. Parece-nos, também, dado o cenário de inflação, que os consumidores têm atualmente uma atitude mais ponderada e um comportamento mais consciente, levando-os a comprar apenas o que realmente necessitam, sem se deixarem levar impulsivamente pelas promoções da Black Friday», acrescenta.

O inquérito para o estudo “Black Friday 2023 – Inflação” foi realizado online, entre os dias 20 de outubro e 20 de novembro, e abrangeu um universo de 2.732 inquiridos, com idades entre os 18 anos e maiores de 65 anos.