Moda em Seul

Seul apresenta uma exposição de moda  – “She’s like a Rainbow: Color and Fashion” – que representa a retrospectiva da história e o significado da cor e da moda através dos trabalhos de alguns dos mais importantes criadores do mundo. Em exposição estão 50 peças das mais prestigiadas casas de Alta Costura Chanel, Dior e Balenciaga (que pertencem à colecção permanente do museu do Fashion Institute of Technology – FIT de Nova Iorque) e 25 coordenados de cinco designers locais.

 

A exposição foi inaugurada na passada semana na Rodin Gallery, em Seul, representando a primeira mostra internacional numa galeria de arte na Coreia do Sul, e está divida em duas salas, sendo que a primeira apresenta os trabalhos de alguns veteranos designers internacionais organizados por cores primárias – vermelho, azul e amarelo – e secundárias – o laranja e o verde.

 

As diferenças entre cada uma das criações são bastante evidentes, já que uma cor pode ter várias abordagens, aplicações e interpretações. Um exemplo: o coordenado de 1999 de Rei Kawakubo para a Comme des Garçons, constituído por um vestido e bolero brancos, evidencia a “inocência” do branco, e o vestido comprido de jersey de viscose desenhado por Tom Ford para a Gucci, sugerindo o oposto e apresentando um branco brilhante, provocador e sedutor.

 

Os visitantes podem ainda ver trabalhos da colorista Elsa Schiaparelli, Coco Chanel ou do criador americano Roy Halston que foi descrito como o “primeiro minimalista da moda”. Em exibição estão também cinco peças Dior de várias épocas: um vestido cocktail de seda azul forte (1950), um vestido balão de organdi branco com motivos florais (1955), um vestido de noite de veludo verde escuro (1963) e um vestido de noite camuflado que John Galliano fez para a Dior em 2001, que mostram um pouco do percurso criativo da marca de luxo francesa nos últimos 50 anos.