Moda Colaborativa – Parte 1

A base produtiva da Indústria Têxtil, VestuÁrio e Calçado estÁ localizada maioritariamente em países da Ásia Pacífico, na Europa de Leste, Norte de África e em países como Portugal, Espanha, Turquia e ItÁlia. A comunicação destes agentes económicos com a sua base de clientes é efectuada, regra geral, através do envio/recepção de correio electrónico, de fax e de conversações telefónicas. Uma das dificuldades que mais tem contribuído para a não optimização da cadeia logística/de fornecimento destas indústrias é a dificuldade que os diversos agentes têm na disponibilização e no acesso a informação fidedigna e em tempo real. A colaboração através de portais real-time (tempo real) ou near real-time (quase em tempo real) poderÁ surgir como uma forma custo/eficiente de criar sincronismos nas cadeias logísticas da fileira moda. Através de portais integrados com os sistemas de back-office (nomeadamente ERP) serÁ possível a partilha de informação entre os diversos agentes e nas diferentes etapas do desenrolar de cada negócio. Devido à natureza deste sector, os diversos elos da sua cadeia de valor necessitam de trocar informações de forma transparente e rÁpida em diversos momentos críticos de cada relação comercial (Ideia – Desenvolvimento – Amostras – Ajustes – Encomendas – Produção – Controlo de Qualidade – Facturação – Reencomendas – Reclamações). Devido à enorme pressão a que estes players estão sujeitos por parte dos seus “poderosos” clientes do retalho organizado, devido ao contínuo acréscimo de preços dos factores produtivos e devido à cada vez maior pressão sobre os tempos de produção e de fornecimento (Lead Times), a interacção e a colaboração electrónica entre as empresas reveste-se de uma importância cada vez mais crítica. A base produtiva da fileira moda em Portugal é, também ela, altamente fragmentada e organizada em silos sectoriais onde cada agente efectua um reduzido número de operações (Fiação, Tecelagem, Corte de Tecidos ou Peles, Confecção, Acabamentos e Enobrecimento). A utilização de tecnologias colaborativas é bastante limitada, o que por sua vez também enfraquece a posição competitiva das nossas empresas em termos de qualidade, quantidades, flexibilidade, lead times, serviço ao cliente e fiabilidade da informação. Através da utilização de soluções avançadas de sistemas de informação para a fileira moda, como é o caso do SAP para a Indústria Têxtil, VestuÁrio e Calçado, as empresas portuguesas podem implementar soluções integradas que lhes permitam gerir as especificidades do seu negócio através do ERP sectorial, ao mesmo tempo que disponibilizam, de forma totalmente integrada, ferramentas colaborativas de integração de informação com os seus clientes, fornecedores e subcontratados. Esta solução, permite, assim, a gestão das operações internas de cada empresa, disponibilizando a informação necessÁria através de uma plataforma de portal totalmente integrada. Por outro lado, a utilização destas ferramentas permite a disponibilização de Áreas de acesso Web, onde esses mesmos parceiros podem interagir com a empresa detentora desta solução. Os benefícios que se podem obter com a colaboração electrónica entre parceiros de negócio através de portais, poderÁ gerar mais-valias resultantes da integração de mais e melhor informação no processo de decisão e na optimização facilitada de processos de negócio em vÁrias fases da cadeia de valor e produtiva da fileira moda. Estas formas de colaboração electrónica têm provado também que contribuem para significativas melhorias de margem, quer pela redução de custos, quer pelo aumento de receitas. Na próxima terça-feira veja algumas das soluções colaborativas que poderÁ observar na plataforma da SAP para a fileira moda. Entre aquelas que iremos descrever em maior pormenor indicamos o planeamento colaborativo da cadeia logística, o acompanhamento de encomendas e de produção, a gestão da qualidade de produto e a gestão de amostras. "Gestão e Estratégia na Fileira Moda" é patrocinado por: