Matalan sem milagre de Natal

O retalhista de baixos preços Matalan anunciou que os seus lucros conseguidos durante a época natalícia tiveram uma queda acentuada registando, no entanto, uma ligeira subida nas vendas de vestuário. O crescimento total registou uma queda de 2,1 por cento durante as 10 semanas terminadas a 7 de Janeiro em comparação com os 11,4 por cento do ano passado. O crescimento “like-for-like” caiu 5,5 por cento em comparação com os 5,3 por cento de aumento do ano anterior. As vendas das lojas de vestuário, com a excepção das promoções do mercado cinzento – artigos vendidos fora dos canais de distribuição normais mas, que ao contrário dos mercado negro são legais -aumentaram 0,3 por cento durante o referido período, comparado com o aumento de 5,3 por cento do ano anterior. A Matalan comentou que nesse período terá sido afectado por um difícil ambiente comercial, como seria de esperar. A empresa afirmou que as vendas de vestuário terão sido ajudadas por procura tardia de produtos sazonais tais como malhas e casacos mas teve uma redução ao nível da actividade do mercado cinzento que obrigou as vendas deste tipo de lojas a baixar. Os produtos da marca continuam a vender menos, com as vendas dos presentes de Natal a serem particularmente desapontantes, afirma a empresa. O director-executivo da empresa John King, continua a manter uma postura positiva: «Num ambiente comercial complicado temos mantido a nossa quota de mercado no negócio do vestuário, e que representa 80 por cento do total das nossas vendas», refere. «Vamos continuar a concentrar as nossas forças no fortalecimento das margens e nos “cashflows”». John King negou os recentes rumores que de que tencionava deixar a empresa devido aos repetidos maus resultados a nível de vendas.A empresa reduziu a sua força de trabalho despedindo 300 trabalhadores em Agosto do ano passado de forma a reduzir custos.