Marks & Spencer com lucros de 30%

Com a venda das suas filiais europeias e a concentração do seu trabalho no mercado doméstico, fez com que o maior retalhista de vestuário britânico aumentasse os seus lucros em 30%. A Marks & Spencer anunciou que os seus resultados do exercício de 2001-2002 obtiveram uma subida de 30,7% antes de impostos, atingindo os 1,04 mil milhões de euros. Depois da venda das suas filiais espalhadas por vários países, inclusive Portugal, a Marks & Spencer regressou aos lucros. As vendas anuais da cadeia britânica situaram-se nos 7,61 mil milhões de euros, com um crescimento anual de 3,8%. Já no segundo semestre deste exercício a facturação cresceu cerca de 6,9%. Depois de três anos no vermelho, que levaram à venda das lojas do grupo fora do Reino Unido, a M&S não surpreendeu os analistas com esta subida, que foi conseguida também pela remodelação das suas lojas e pela renovação das linhas de vestuário, principalmente no segmento de roupa de senhora. Comentando os resultados, Luc Vandevelde, presidente e director geral da cadeia de retalho inglesa, afirmou que «fizemos um bom trabalho e acredito que já passamos o pior. Contudo, eu assumo que a nossa performance foi ajudada pelo fluente comércio das ruas, e agora a nossa tarefa é assegurar a recuperação e construir um futuro».