Maria Anunciação Fonseca da Costa reconquista Espanha

A empresa detentora da marca Ruanjo continua a galgar os terrenos internacionais, sobretudo através do private label. Com um aumento do volume de negócios em tempos de pandemia, a produtora de vestuário recuperou o mercado espanhol e pretende intensificar a presença na Alemanha e no Norte da Europa.

Maria da Costa

Com foco na sustentabilidade e coleções compostas por «muitos orgânicos e reciclados, sempre com certificados GOTS e fittings oversize com linhas urbanas», a produtora de vestuário não tem tido mãos a medir face aos pedidos que chegam dos quatro cantos do mundo.

Mesmo em altura de pandemia, o fluxo de trabalho foi intenso e a Maria Anunciação Fonseca da Costa «apenas esteve um mês em lay-off», conta Maria da Costa.

Com um leque muito diversificado de clientes, entre os quais os EUA, a França, a Espanha e os Países Baixos, a Inglaterra é quem mais contribui para a faturação da empresa de Barcelos. Este ano, um novo mercado juntou-se à lista. «Uma novidade é que retomámos o mercado espanhol e este está a crescer», revela a CEO ao Portugal Têxtil.

Mas é na Alemanha e nos países do Norte da Europa que a Maria Anunciação Fonseca da Costa quer intensificar a sua presença. «Tivemos alguns clientes da Alemanha no ano passado que procuram malhas, sobretudo orgânicas, e como também já temos bastante experiência nos Países Baixos, acho que se pode coadunar», afirma Maria da Costa.

Com aumento de 5% no volume de negócios, a empresa detentora da marca Ruanjo prevê encerrar o corrente exercício com cerca de 700 mil euros. O próximo ano será marcado pelo reforço do plano de expansão internacional. «Ainda não decidimos se vamos fazer feiras ou apenas visitar os nossos clientes ou outros que já foram e que agora não são, e perceber o porquê de terem deixado de produzir em Portugal», explica a CEO.