Mango quer crescer nos EUA

A retalhista espanhola de moda vai investir 100 milhões de euros até 2024 para expandir a rede de lojas no mercado norte-americano. O plano da Mango incluiu já a abertura de um novo ponto de vanda em Nova Iorque, recentemente inaugurado na emblemática 5.ª Avenida.

[©Mango]

Em comunicado, a Mango, que está presente no mercado americano desde 2006, garantiu que quer consolidar o seu posicionamento nos EUA com a abertura de 30 novos espaços comerciais em três anos. A retalhista de fast fashion espera, assim, totalizar 40 pontos de venda nos EUA em 2024 e converter o país num dos cinco principais mercados em volume de negócios do grupo.

A multinacional de origem espanhola, que também tem investido forte na sustentabilidade e na solidariedade, quer apoiar este crescimento com vendas online, canal que deverá representar 70% do seu negócio em 2024. Na primeira fase deste plano, a Mango procurou alargar a presença em Nova Iorque – tanto em Manhattan como na zona envolvente –, onde conta atualmente com cinco pontos de venda, incluindo a l

oja que acaba de abrir na 5.ª avenida.

Na segunda fase, a retalhista irá concentrar-se no estado da Florida, onde planeia inaugurar entre quatro e cinco espaços, ao longo de 2022 e 2023, em cidades como Miami, Boca Raton, Orlando e Tampa.

[©Mango]
[©Mango]
Durante a terceira fase, que começará em 2023, a insígnia de moda continuará a expandir para oeste com a abertura de novas lojas nos estados da Geórgia (Atlanta), Arizona (em cidades como Phoenix e Tucson), Texas (Houston e Dallas), Nevada (Las Vegas) e Califórnia, nomeadamente em Los Angeles, San Diego e San Jose.

Além da aposta em alguns mercados estratégicos, a Mango tem vindo a redefinir

o seu plano de sourcing. Em 2021, trabalhou com mais de mil fábricas em todo o mundo e quase 400 estavam em mercados próximos como Marrocos e Turquia, segundo o último relatório anual publicado pela empresa e analisado pelo website noticioso modaes.es.

A retalhista de vestuário reforçou ainda a sua vocação inovadora com a criação de uma aceleradora de start-ups de moda, em colaboração com a escola de negócios IESE Business School. O projeto, batizado Mango StartUp Studio, representa um investimento de 3 milhões de euros e contempla a participação de mais de 50 empresas a médio prazo.

[©Mango]