Mais 34 centros comerciais até 2006

De acordo com o último relatório da Jones Lang LaSalle, “Retail Market Review”, referido pelo Semanário Económico, Portugal vai assistir à construção de mais 34 “shoppings” por todo o país, equivalendo a mais de 830 mil metros quadrados de nova oferta no mercado retalhista nacional. Com o crescimento deste sector a atingir os 65% nos próximos dois anos, em 2004 a Área Bruta Locável (ABL) irá ultrapassar os 2,1 milhões de metros quadrados. Concentrados essencialmente na região da Grande Lisboa, vão abrir ainda este ano, cerca de 13 novos centros comerciais, oferecendo um total de 285 mil metros quadrados de ABL. Segundo o Semanário Económico, para 2003 estão previstos mais 16 “shoppings”, com uma Área Bruta Locável de 325 mil quadrados. Apesar de Lisboa continuar a ser o principal espaço para a abertura de centros comerciais, a Jones Lang LaSalle destaca a abertura do primeiro grande centro comercial da Madeira, o Fórum Madeira, no Funchal. Está também prevista a abertura do Alcabideche Retail Park, um promoção da Mundicenter e do Parque Nascente da Eiffage/Auchan. A análise da referida consultora, prevê ainda no ano seguinte o nascimento de quatro novos centros comerciais, três dos quais em Lisboa e outro no Porto. Em 2006 será a vez da Comitur abrir o “shopping” Fonte da Prata, em Setúbal. A Jones Lanh LaSalle refere ainda uma forte aposta em formas alternativas, como é o caso dos “retail parks”, “factory outlets” e os “leisure centres”. Exemplos destas novas tendências são os projectos como o Sintra Retail Park e o Campera Outlet Shopping. O lazer é outra vertente dos centros comerciais que se tem vindo a impor cada vez mais. Actualmente, Portugal oferece 72 “shoppings”, 53% dos quais estão localizados na região de Lisboa e do vale do Tejo. Segue-se depois a região Norte com 29,80% e o Centro com 9,12%. Segundo o estudo da consultora, esta distribuição está relacionada com o poder de compra das regiões em causa. Apesar destes números, Portugal tem o menor rácio de ABL por cada mil habitantes quando comparado com os seus vizinhos europeus, como por exemplo a França, que lidera com um rácio de 238, o Reino Unido com 230 e Espanha com 152. Em relação à média europeia, situa-se nos 152,5.