Lufada de ar fresco na Renewcell

A empresa de reciclagem teve um final de ano positivo, com notícias de um impulso das vendas no mês de dezembro e liquidez adicional providenciada pelos seus investidores, como a H&M.

Entre 1 de dezembro e 31 de dezembro, a Renewcell entregou «cerca de 1.000 toneladas a clientes durante o período», revela em comunicado, uma melhoria significativa em comparação com o mês anterior, em que as vendas foram nulas.

A empresa, que abriu a primeira unidade de reciclagem têxtil a têxtil a grande escala há cerca de um ano, produziu aproximadamente 1.149 toneladas de polpa Circulose, das quais 818 toneladas de qualidade superior.

A informação foi veiculada pela empresa sueca, que no final do ano anunciou igualmente um reforço da sua liquidez, graças a dois empréstimos a curto prazo dos seus investidores H&M e Girincubator, que no total ascendem a 100 milhões de coroas suecas (cerca de 9 milhões de euros).

A Renewcell acredita que esta solução resolve a sua necessidade de liquidez a curto prazo, causada por vendas piores do que o esperado na cadeia de valor têxtil. «A injeção de capital deverá ser suficiente para lidar com a liquidez necessária para os próximos meses e, como tal, não é uma solução a longo prazo», destaca o comunicado, acrescentando que «a revisão estratégica continua a ser a principal prioridade para assegurar, no primeiro trimestre de 2024, o financiamento a longo prazo necessário».

A empresa sueca assinou ainda um acordo não vinculativo com o grupo H&M, sob o qual a retalhista confirma o desejo de adquirir 7 mil toneladas de fibras contendo polpa de Circulose através da sua cadeia de aprovisionamento em 2024 e 11 mil toneladas em 2025.

No entanto, este princípio de acordo depende de negociações, nomeadamente em termos de preço, que estão a ser realizadas para determinar um documento vinculativo.

A Renewcell, que desde o início deste ano tem um diretor financeiro, Peter Shchulz, anunciou a sua revisão estratégica em novembro face aos resultados de vendas inferiores aos esperados no terceiro trimestre. A empresa, que produz e vende a polpa Circulose, 100% produzida a partir de resíduos têxteis, registou um prejuízo de 94,5 milhões de coroas suecas entre julho e setembro do ano passado – um ano em que aumentou significativamente os seus volumes de produção, que passaram de 3.388 toneladas no primeiro trimestre para 7.554 toneladas no terceiro trimestre.

Em comentário aos resultados do terceiro trimestre, Magnus Håkansson, CEO interino, assumiu, na altura, que «temos lições a aprender do período inicial de produção comercial e estamos empenhados em aumentar a nossa transparência e previsibilidade», mas salientou que «não há dúvidas que o mundo está a fazer a transição para fluxos de produto ecologicamente circulares e a Renewcell está numa posição única para contribuir para esta transição».