Lenzing enfrenta crise

As vendas do primeiro trimestre da Lenzing caíram 18,1%, passando dos 346,8 milhões de euros registados no ano passado para os 284 milhões de euros. O dramático colapso do preço das fibras, sobretudo na ásia, e a diminuição das vendas são as principais razões para isso, de acordo com a empresa. Os preços das fibras no primeiro trimestre de 2008 estiveram acima da média anual. O declínio das vendas é, por isso, particularmente pronunciado. Em comparação com o quarto trimestre de 2008, as vendas caíram cerca de 10%, afirmou a Lenzing. O Ebit (resultados antes de juros e impostos) do primeiro trimestre fixou um prejuízo de 1,9 milhões de euros em comparação com o lucro de 42,1 milhões de euros no ano passado. As despesas com os juros mais altos e mercados cambiais altamente voláteis resultaram num resultado financeiro deficitário em 4,6 milhões de euros (em 2008 registou prejuízos de 3,6 milhões de euros). Os ganhos por acção caíram para menos 0,98 euros (em 2008: 7,22 euros). O presidente da Lenzing, Peter Untersperger, afirmou que «a recessão deixou uma marca clara no quarto trimestre de 2008 e esta tendência negativa tornou-se ainda mais pronunciada com o início de 2009. O grupo Lenzing também não poderia contornar esta situação. Apesar disso, a Lenzing irá manter a sua posição como fornecedor e parceiro de confiança. é uma estratégia que actualmente está a conseguir ganhar quota de mercado para as fibras Lenzing neste clima de recessão e da qual irá beneficiar na próxima reviravolta económica». A capacidade de produção da Lenzing terá, segundo afirma a empresa, de ser ajustada para se adequar à redução da procura, sobretudo na ásia. O nível de preço geral das fibras e a procura em quantidade deram sinais animadores de consolidação até ao final do primeiro trimestre. O sector dos não-tecidos regista um ligeiro aumento no volume de vendas após um declínio acentuado. Neste campo, contudo, também o nível de preço é muito reduzido, afirmou a Lenzing. Olhando para o futuro, a Lenzing acredita que 2009 será um ano difícil e volátil em termos de negócio. A procura doméstica nas nações ocidentais industrializadas permanece fraca. Há uns primeiros sinais de que a procura no sector do negócio de fibras está a afirmar-se, contudo, não há qualquer indicação sobre em que medida isso irá levar a uma estabilização sustentável. Os preços permanecem a níveis insatisfatórios e as margens são reduzidas, de acordo com a Lenzing. A situação mundial do mercado permanece incerta, altamente volátil e ainda imprevisível. De acordo com as previsões da empresa austríaca, o desenvolvimento do negócio deverá recuperar ligeiramente no final de 2009, desde que a economia mundial se torne menos volátil e a estabilização da procura se fortaleça durante os meses de Verão.