Lenzing compromete-se com Acordo de Paris

A produtora de fibras celulósicas regeneradas atualizou os seus compromissos climáticos para se alinharem com os objetivos do Acordo de Paris de limitar o aumento da temperatura a 1,5 ºC.

[©Lenzing]

Esta atualização faz da Lenzing a única produtora de fibras celulósicas regeneradas com um objetivo, confirmado pela Science Based Targets Initiative, de atingir zero emissões, sublinha a empresa austríaca.

Até 2030, a Lenzing pretende reduzir as emissões diretas resultantes da produção de fibras e polpa nas suas unidades (âmbito 1) e as suas emissões de compra de energia (âmbito 2) em 42% e as suas emissões indiretas ao longo da cadeia de valor (âmbito 3) em 25% a caminho do zero, em comparação com os dados de 2021. Estas metas correspondem a uma redução absoluta de 1.100.000 toneladas, em comparação com as anteriores 700 mil toneladas.

Até 2050, em linha com o Acordo de Paris, a Lenzing compromete-se a atingir zero emissões de gases com efeito de estufa em toda a sua cadeia produtiva.

«Na Lenzing, temos a ambição de mudar positivamente a indústria têxtil e de não-tecidos. Isto é precisamente o que faz uma diferença notável para outras empresas e é também a base para o sucesso a longo prazo», acredita Stephan Sielaff, CEO do Grupo Lenzing. «Estabelecemos objetivos ambiciosos para nós próprios e perseguimos medidas concretas para os atingir. Isto permite-nos melhorar continuamente a nossa resiliência a influências externas como a crise energética e, por outro lado, responder melhor à crescente procura dos clientes por produtos ecologicamente responsáveis», acrescenta.

A empresa tem feito investimentos na conversão e modernização das instalações produtivas na Ásia, usando atualmente 100% de energia de fontes renováveis na China e na Indonésia. Na Áustria, adquiriu uma central de biomassa no ano passado para alimentar a unidade produtiva de liocel em Burgenland.

«Com os nossos objetivos de redução, estamos a dar um contributo decisivo para responder ao limite de 1,5 ºC, que deve ser a referência para as nossas decisões e ações corporativas. Vamos continuar a investir em poupança de energia e em novos desenvolvimentos tecnológicos e, como tal, estou confiante de que estamos no caminho certo para atingir a nossa meta de zero emissões em 2050», resume Christian Skilich, diretor de tecnologia e polpa no Grupo Lenzing.