Lear despede 50 funcionários

A fábrica da multinacional norte-americana Lear Corporation, situada em Palmela, que fabrica coberturas têxteis para assentos automóveis, prepara-se para despedir cerca de 50 funcionários. A empresa que já contou com 2000 trabalhadores, emprega agora menos de meia centena e pretende reduzir o número para 400. O dirigente do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Metalúrgicas e Metalomecânicas do Sul, Gabriel Reis, adiantou ao Diário Económico que não houve aumentos em 2001 e acrescentou ainda que no corrente ano a administração apenas oferece uma actualização de 3%. A empresa justificou aos funcionários a necessidade de reduzir os postos de trabalho (em Abril, ainda trabalhavam na Lear 680 trabalhadores), devido aos 67 milhões de euros de prejuízo acumulados. Segundo o sindicalista, a empresa americana pretende deslocalizar parte da sua produção para a Polónia. A Lear conta com outras duas empresas em Portugal, que actuam na área das cablagens. A multinacional americana, tem um contrato de investimento assinado com o Estado português, onde se compromete criar até Dezembro de 2002, cerca de 4.000 postos de trabalho, acrescenta Gabriel Reis. A Lear Corporation é o quinto maior grupo fabricante de componentes automóveis no mundo. As suas vendas atingiram os 14 mil milhões de dólares no exercício de 2000, e a empresa neste momento tem em curso um plano de reestruturação, que tem por objectivo terminar o ano com menos 21 fábricas e 6.500 postos de trabalho.