JP Gaultier em 2ª linha

Versus da Versace, Marc by Marc Jacobs ou D&G da dupla de designers italianos Dolce&Gabbana são marcas que estão ao alcance do público, com sucesso, a preços mais acessíveis. Esta parece ser a tendência das grandes marcas que procuram agora novas formas de contornar a crise. Jean Paul Gaultier é o mais recente nome da moda a adoptar esta estratégia e vai lançar uma segunda marca de vestuário e acessórios, que será apresentada em exclusivo na Semana de Moda de Paris em Março de 2011. A empresa responsável pela sua produção será a GFM Industries, igualmente responsável pela produção da linha Anglomania de Vivienne Westwood. A primeira colecção da nova linha de Gaultier será composta por cerca de 60 peças e «deverá manter o espírito da primeira marca do estilista», segundo a GFM Industries. Na mesma linha segue actualmente a Lanvin, que acaba de anunciar a colaboração com a marca sueca H&M (ver Lanvin à venda na H&M). Alber Elbaz, cuja máxima era vestir exclusivamente a classe alta, tem agora o desafio de desenhar uma colecção de baixo custo para as massas. Em Espanha, a estratégia também se repete com a Rosa Clará. Com efeito, a designer de vestidos de noiva, reconhecida por vestir as celebridades espanholas, acaba de lançar a Two Collection, que oferece peças mais acessíveis para, desta forma, poder alargar o mercado-alvo da Rosa Clará. O mesmo sucedeu já com José Castro, que no passado mês de Maio assinou um acordo com a Pontemoda Difusion para lançar uma segunda linha de vestuário, já apresentada, com êxito, na Valencia Fashion Week.