Japoneses indiferentes à crise

Apesar do abrandamento económico, o mercado Japonês surge com um paradoxo – registou um ‘boom’ nas vendas de artigos de luxo e de marcas de moda importadas. “A tendência é serem impulsionados pelos ‘Japanese Mini-Super-Rich’” salienta Naomi Moriyama, especialista em marketing, usando esta sua expressão para descrever esta nação ‘bi-polar’ de consumidores que tanto escolhem produtos de luxo como artigos de pechincha, rejeitando a gama média de produtos. Os ‘Mini-Super-Rich’ podem ser um mercado lucrativo. Cerca de 40 por cento dos artigos de luxo do mundo são comprados por consumidores japoneses tanto no mercado interno como no mercado externo. “As vendas a retalho da Ralph Lauren no Japão ocupam o segundo lugar, só precedidas pelos Estados Unidos” diz Moriyama. Outras marcas como a Coach e a Hermes estão a ganhar terreno na economia mundial. Em Setembro de 2002 a Louis Vuitton abriu a sua maior loja a nível mundial em Tóquio, alcançando o maior volume de vendas da sua história.