ITV cautelosamente otimista

Os resultados do mais recente estudo da ITMF, realizado no mês passado, mostram que, apesar dos desafios que a indústria está a sentir, há um clima de negócio mais positivo.

O inquérito, realizado em março, revela, segundo a ITMF – International Textile Manufacturers Federation, «um clima de negócios na têxtil com sinais de otimismo cauteloso no meio dos desafios em curso».

«Apesar de uma ligeira recuperação do clima de negócios entre novembro de 2023 e janeiro de 2024, a situação geral permaneceu desastrosa em março de 2024, evidenciando as dificuldades persistentes que as empresas enfrentam ao longo da cadeia de valor têxtil», refere a ITMF, que acrescenta que «a fraca procura continua a ser a principal preocupação, ofuscando ligeiras melhorias na colocação de encomendas e nas taxas de utilização da capacidade», que subiu para cerca de 70% em março.

Em termos de encomendas, a melhoria foi sentida sobretudo no Sul e Sudeste da Ásia, tendo os produtores de fibras e as tecelagens e tricotagens registado o crescimento mais significativo.

[©ITMF]
A ITMF destaca ainda que «a resiliência da indústria está igualmente evidente na taxa de cancelamento de encomendas relativamente baixa» que, segundo a federação, «sugere um certo grau de estabilidade apesar da baixa procura».

Em termos de inventário, os níveis foram considerados, pela maioria dos inquiridos, como estando na média, embora nos EUA «os inventários das marcas e retalhistas se mantenham relativamente altos, enquanto os grossistas conseguiram, com sucesso, reduzir os inventários para níveis praticamente semelhantes a antes da pandemia», indica o comunicado da ITMF.

O inquérito anterior, realizado em janeiro, dava já conta de uma melhoria significativa do clima de negócios, «assinalando um potencial ponto de viragem impulsionado por melhores taxas de inflação, aumento dos salários reais e o sentimento do consumidor nos EUA, juntamente com expectativas de corte das taxas de juro». Dava ainda conta de «sinais de recuperação» na colocação de encomendas, «com aumentos significativos em todas as regiões, com exceção do Leste da Ásia, sobretudo na América do Norte e Central e na América do Sul».