ITMF apresenta estudo sobre a produção mundial de fio e de tecido

De acordo com o último relatório da ITMF, sobre a actual situação mundial da produção de fio e de tecido, os níveis de produção foram ligeiramente inferiores durante o terceiro trimestre de 2003, sendo a Ásia a única região que apresentou ganhos de produção.
 

A produção de fio tem diminuído ao longo dos últimos 5 trimestres, permanecendo no nível mais baixo desde 1998. A produção de tecido tem vindo a enfraquecer durante 2003, mas permanece ao nível médio verificado desde o ano 2000. Os inventários agregados dos dois sectores registaram uma diminuição, relativamente aos valores verificados no primeiro semestre de 2003, prevendo-se que possa surgir um novo ciclo de diminuição generalizada dos inventários (excluindo a Ásia).

A produção de fio registou uma quebra de 0,7% no terceiro trimestre de 2003, na medida em que o aumento de 3,4% na produção da Ásia, não foi capaz de compensar os decréscimos registados na Europa (-8,2%) e na América do Norte (-9,3%).

Sob uma perspectiva anual, comparando com os resultados do terceiro trimestre de 2002, a produção mundial de fio foi 4,8% inferior, com todas as regiões, à excepção da Ásia, a realizarem cortes nos níveis de produção. A produção europeia registou um decréscimo de 2,9% no período de 1 ano, enquanto a produção de fio da América do Norte registou uma quebra de 18,1%. Nos países asiáticos, registou-se um aumento na produção na Índia, Paquistão e Taiwan ao longo do terceiro trimestre de 2003, enquanto na Europa, apenas Portugal conseguiu aumentar a sua produção de fio, com um crescimento de 0,8%. A produção de fio no continente americano permaneceu mais de 10% abaixo dos níveis conseguidos em igual período de 2002.

A produção mundial de tecido também registou uma contracção marginal (-0,8%) pelo segundo trimestre consecutivo, com uma distribuição de actividade semelhante ao verificado no fio, ganhos na produção asiática (+5,7%) sendo estes incapazes de compensar as quebras verificadas na Europa (-6,7%) e na América do Norte (-9,6%). O Paquistão registou um aumento ligeiramente inferior a 8% na produção de tecido do terceiro trimestre, tendo-se registado um aumento moderado no Egipto e na Índia.

No caso da Europa, apenas França e Portugal registaram um aumento na produção ao longo do terceiro trimestre. A Ásia continuou a ser a única região a verificar uma maior produção de tecido sob um ponto de vista anual, com um aumento de 24%, que serviu de base para o resultado global positivo de 2,0%.

Tendo atingido o valor máximo durante o segundo trimestre de 2003, o nível mundial dos stocks de fio registou um decréscimo acentuado (-9,1%) durante o terceiro trimestre, resultando num nível quase invariável em termos anuais (-0,6%). A diminuição dos inventários foi concentrada na Ásia (-10,7%) e na América do Norte (-11,9%), tendo a Europa registado uma variação negativa de 4,1%.

Os stocks mundiais de tecido também diminuíram (-4,7%) ao longo do trimestre, após terem atingido o valor máximo dos últimos três anos durante o primeiro semestre de 2003. A redução do inventário foi liderada pela Ásia (-10,6%), com os níveis de stocks na Europa (-3,9%) e nos EUA (-2,7%) a acompanharem a quebra. Do ponto de vista da variação anual, os inventários mundiais foram superiores em 3,2%, com a maior fatia de crescimento a ocorrer na Europa (+22,9%), verificando-se nos EUA uma variação quase nula.