Inventado novo sistema robótico para tratamento da lã

Investigadores da Universidade inglesa de Leeds desenvolveram um sistema robótico para “descontaminar” a lã antes do seu tratamento. Trata-se de uma máquina que extrai as impurezas que aderem à fibra, compostas por restos de palha, fragmentos de sacos de papel e outras matérias, sendo partículas de difícil remoção e que deixam manchas depois de tecido. Se esta solução resultar, calcula-se que poderia fazer subir as vendas de lã do Reino Unido em mais de 10 mil milhões de euros por ano. Durante o processo de produção, a lã passa pelas máquinas a uma velocidade de 20 metros por minuto. Até agora, a única forma de eliminar as impurezas era à mão, o que fazia diminuir o ritmo de produção. O novo sistema automático reconhece as partículas estranhas a uma velocidade de 25 metros por minuto, pelo que não interfere no processo de produção. Pequenas fontes de luz assinalam a posição das partículas, que são depois eliminadas por um sistema robótico.