Intertextil fala sobre a evolução dos preços do sector têxtil

Ao conhecer-se a evolução do IPC (Índice de Preços do Consumidor), que se apresenta de novo em alta, os sectores de Vestuário e Calçado voltaram a ser citados entre os principais culpados por este fenómeno, o que já aconteceu no passado mês de Abril. A 14 de Junho, o Concelho Intertextil Espanhol adiantou a seguinte nota sobre a evolução dos preços no sector têxtil: “A nova metodologia introduzida na Base 2001 do IPC, que incorpora entre outros aspectos os preços reduzidos e que permite um reflexo mais ajustado da realidade, provoca em comparação com a anterior base do IPC de 1992, uma maior oscilação dos preços de venda ao público dos produtos têxteis, de onde participam outras empresas para além dos fabricantes. Dado este contexto de maior oscilação de preços, é uma boa altura para observar a evolução dos preços do sector de Vestuário e Calçado, tendo em conta que em comparação com o ano passado os preços deste grupo aumentaram 1,1% até ao mês de Maio, em comparação com os 2,5% do índice geral. Mesmo assim, se se analisarem os dados para os produtos que compõem este grupo, no que diz respeito aos preços acumulados do presente ano, constata-te que os artigos de vestuário de homem viram uma redução nos preços em 1,2%, e os de vestuário de mulher em 0,4%. Apenas os artigos de vestuário de bebé e criança aumentaram 5,3%, contrariamente a outros produtos relacionados com o calçado, que experimentaram ao longo do presente ano um aumento de preços mais significativo do que os produtos têxteis. Adicionalmente, e segundo dados do INE espanhol, esses produtos anteriormente citados (artigos de vestuário de homem, senhora, criança e bebé) tiveram uma repercussão no IPC geral de 0,09% até esta altura, tendo este subido para 2,5%. Finalmente, há que concordar que a indústria têxtil está num processo de ajuste de custos, que produz uma redução de preços. Assim, os preços baixaram 0,4% até ao mês do Abril, e 0% na taxa de variação anual. Por tudo isto, a indústria têxtil é sensível à evolução dos preços, especialmente por ser um sector exposto à concorrência internacional, não sendo no entanto esta, que está a provocar a actual tensão de preços, mas o contrário, como se observa através dos dados referidos”.