Indústria têxtil mexicana em recuperação

A indústria têxtil do México perdeu 32 mil empregados em 2001 mas neste momento já se encontra em recuperação. Nos seis primeiros meses de 2002 criaram-se já oito mil postos de trabalho. Representantes da Câmara Nacional da Indústria Têxtil – CANAINTEX – adiantaram que, apesar da produção têxtil ter descido 2,9% em relação ao mesmo período de 2001, conseguiu mesmo assim ser mais alta do que nos dois trimestres anteriores. O grupo adiantou que o sector emprega neste momento 160 mil pessoas e que as vendas têxteis dos exportadores mexicanos cresceram 20% na primeira metade de 2002, para 836 milhões de euros, apesar das exportações totais terem descido 1,6%, para dois mil milhões de euros. As exportações de vestuário para os Estados Unidos cairam 4,7% na primeira metade deste ano mas as encomendas para países como os Barbados e a República Dominicana ajudaram a compensar essa descida, que foi uma das consequências do impacto dos atentados do 11 de Setembro. “O sector têxtil começou a recuperar, mas a verdade é que esteve bem no fundo”, adiantou o presidente da Câmara Adolfo Kalach Mizrahi. Contudo, o mesmo alertou as duas mil empresas de têxtil e vestuário do país, que só conseguiriam sobreviver à competição dos grandes países asiáticos como a China e o Vietname, baixando os custos e melhorando a tecnologia. Mizrahi alertou também as autoridades para a “caça” aos contrafactores e aos produtores de vestuário falso que custam à indústria 10 milhões de euros por ano.