Inditex vai reabrir lojas na Ucrânia

A retalhista espanhola planeia reabrir gradualmente, a partir de 1 de abril, as lojas que detém na Ucrânia, com as circunstâncias locais a ditarem a decisão e o ritmo do regresso ao mercado.

[©UCSC]

Numa primeira fase, a Inditex irá abrir 20 lojas na Ucrânia, três das quais sob a marca Zara, sobretudo em centros comerciais e retomar as vendas online no mercado. As primeiras reaberturas serão na região de Kyiv.

As restantes 34 lojas estão localizadas em áreas diretamente afetadas pela guerra no sul e leste da Ucrânia, zonas onde o governo ucraniano proibiu operações comerciais.

«A prioridade do grupo continua a ser a segurança dos seus funcionários e clientes», afirmou, em comunicado, a retalhista espanhola, que confirmou assim uma notícia anterior do Financial Times.

A Inditex encerrou as lojas na Rússia e na Ucrânia em março de 2022, após a invasão russa a 24 de fevereiro e consequentes sanções ocidentais. Apesar do encerramento, a Inditex continuou a pagar impostos e salários aos cerca de 1.000 trabalhadores na Urânia e a manter os arrendamentos.

Na Ucrânia, grupo espanhol tinha 84 lojas abertas na altura da guerra, enquanto na Rússia contabilizava 558 em 2019, de acordo com o seu relatório anual.

A Inditex acordou a venda das suas lojas na Rússia ao Daher Group, sediado nos Emiratos Árabes Unidos em 2022, mas não excluiu a possibilidade de regressar ao mercado se as circunstâncias se alterassem.

Na Ucrânia, a retalhista espanhola tem como objetivo reabrir 50 lojas nos próximos meses, embora não tenha revelado quanto tempo demorará esse processo, destaca a Reuters.

A Inditex segue os passos de outros retalhistas internacionais. A H&M começou a reabrir as suas lojas na Ucrânia em novembro do ano passado e tem atualmente sete lojas abertas em Kyiv e Lviv – em novembro de 2021, a retalhista sueca contabilizava oito lojas na Ucrânia.

A decisão da Inditex segue-se também a um relatório positivo da Associação de Retalhistas da Ucrânia, que revela que as principais cadeias de retalho no país já retomaram o número de lojas operacionais que tinham antes da guerra nos 17 meses desde o início da guerra. Dos 17.040 pontos de venda a retalho, 16.964 estão agora operacionais no país.

De acordo com o Conselho Ucraniano de Centros Comerciais (UCSC), «as lojas do grupo Inditex são extremamente importantes para o retalho e para os promotores ucranianos e são âncoras nos principais centros comerciais de todo o país, pelo que o seu regresso deverá reduzir a vacância real, aumentar o volume de negócios e o número de visitantes».