Inditex mantêm-se na rota do crescimento

A Inditex aumentou as vendas no primeiro trimestre do ano e continua a destacar-se da concorrência, antecipando «fortes oportunidades de crescimento», inclusivamente no segundo trimestre de 2024.

[©Inditex]

No primeiro trimestre de 2024, a Inditex registou um crescimento de vendas de 7,1%, para 8,2 mil milhões de euros, enquanto as vendas a câmbios constantes aumentaram 10,6%.

O lucro bruto do trimestre aumentou 7,3%, para 4,9 mil milhões de euros, e a margem bruta atingiu 60,6%, um aumento de 13 pontos base. O EBITDA aumentou 8% para 2,4 mil milhões de euros, enquanto o EBIT subiu 10,3%, para 1,6 mil milhões de euros.

Durante o primeiro trimestre, o grupo espanhol, que detém marcas como a Zara, Stradivarius e Massimo Dutti, abriu lojas em 28 mercados, incluindo as primeiras lojas no Uzbequistão, no Tashkent City Mall. A 3 de abril, a Inditex reabriu ainda 19 lojas de sete marcas e retomou as operações online na Ucrânia. No final do trimestre, a retalhista operava 5.698 lojas.

«As coleções primavera/verão continuam a ser muito bem recebidas pelos nossos clientes. As vendas nas lojas e online a câmbios constantes entre 1 de maio e 3 de junho de 2024 aumentaram 12% em relação ao mesmo período de 2023», revela.

A retalhista, de resto, «continua a ver fortes oportunidades de crescimento», determinando como prioridades melhorar a proposta de moda e a experiência do cliente, aumentar o foco na sustentabilidade e reter e motivar os recursos humanos. «Dar prioridade essas áreas impulsionará o crescimento a longo prazo. Para levar o nosso modelo de negócio ao próximo nível e alargar ainda mais a nossa diferenciação, estamos a desenvolver diversas iniciativas em todas as áreas-chave para os próximos anos», aponta.

Para este ano, a Inditex planeia «investimentos que irão ampliar as nossas capacidades, obter eficiências e levar a nossa diferenciação competitiva para o próximo nível». Está ainda previsto um plano de expansão logística para antecipar as necessidades face às oportunidades de crescimento futuro, que implica um investimento de 900 milhões de euros anuais em 2024 e 2025.