Inditex estabelece novos recordes

A retalhista espanhola fechou o ano fiscal de 2023 com um lucro de 5.381 mil milhões de euros, o maior de sempre da empresa fundada por Amancio Ortega, que bateu igualmente o seu recorde de vendas, com quase 36 mil milhões de euros.

[©Zara]

Entre 1 de fevereiro de 2023 e 31 de janeiro de 2024, a Inditex registou uma subida de 10,4% nas vendas, que atingiram 35,9 mil milhões de euros – a câmbios constantes, as vendas somaram mais 14,1%.

A maior parte das vendas – equivalente a 26,05 mil milhões de euros – foi feita sob a marca Zara, representando um aumento de 10% face ao ano fiscal de 2022. A segunda marca com mais vendas foi a Bershka (2,62 mil milhões de euros e um crescimento de 10%), seguida da Pull & Bear (2,36 mil milhões de euros, equivalente a mais 10%) e da Stradivarius (2,33 mil milhões de euros, representando mais 13%). As marcas com maior aumento de vendas foram, no entanto, a Oysho (+19%, para 744 milhões de euros) e a Massimo Dutti (+15%, para 1,84 mil milhões de euros).

Em termos geográficos, a Europa (com exceção de Espanha) representou 48,7% das vendas, seguida da América (19,6%). Espanha, por seu lado, contou para 14,8% das vendas.

No total, a Inditex operava, no final do ano fiscal de 2023, 5.692 lojas, resultado da abertura de 192 pontos de venda em 41 mercados, incluindo a primeira loja da Zara no Camboja, e 231 remodelações, que resultaram no alargamento de 84 lojas e 315 absorções.

As vendas online aumentaram 16%, para 9,1 mil milhões de euros, com planos para reforçar este canal em 2024, incluindo serviços de emissões em direto nos EUA e no Reino Unido. «O grupo continua a explorar novas formas de comunicar para melhorar a experiência dos consumidores, através de canais como o Shuffle para a Pull & Bear», indica a Inditex em comunicado.

A retalhista anunciou igualmente estar a introduzir uma nova tecnologia de segurança nas lojas que melhora a experiência do consumidor e facilita a interação com os produtos e um processo de compra melhor, que estará completamente operacional na Zara em 2024, devendo depois ser aplicado aos restantes conceitos de retalho. «Será a base para continuarmos a aprofundar a digitalização das lojas e a sua integração com as plataformas online nos próximos anos», revela.

Quanto às perspetivas de futuro, a Inditex, que opera em 213 mercados, pretende otimizar as lojas e aumentar em 5% o espaço comercial entre 2024 e 2026. Só em 2024 deverá investir cerca de 1,8 mil milhões de euros, que serão usados para escalar a sua capacidade, obter eficiências e aumentar a diferenciação, através da otimização do espaço comercial, integração tecnológica e melhoria das plataformas online.

«A performance da Inditex em 2023 foi excelente. As nossas equipas foram capazes de aproveitar as oportunidades para continuarmos a crescer de forma rentável», afirma Oscar García Maceiras, CEO da Inditex. «Estamos a investir para impulsionar o crescimento futuro e continuar a oferecer uma remuneração atrativa para os acionistas», concluiu.