Indigo conquista lugar de destaque na Riopele

A empresa portuguesa está a usar matérias-primas mais sustentáveis e um novo tingimento desenvolvido com a Archroma para criar uma gama de produtos alternativa ao denim convencional.

[©Riopele]

Indario é o nome do novo projeto que está a ser trabalhado pela Riopele e cujos resultados estão a ser apresentados nas feiras internacionais deste primeiro semestre. A designação agrega o nome do corante mais associado ao denim – o indigo – com o início do nome da empresa e pretende pôr em evidência «todos os procedimentos mais sustentáveis desenvolvidos pela Riopele a pensar nas gerações futuras», explica Ângela Teles, especialista em sustentabilidade no departamento de I&D da empresa.

No âmbito deste projeto, a Riopele desenvolveu uma nova gama de produtos de valor acrescentado com recurso a matérias-primas como a viscose Ecovero (33%) e linho certificado European Flax (67%). «Procuramos fugir aos tecidos mais básicos e apostar em estruturas mais diversas, com fios de fantasia, flamés, que apelem ao lado sentimental dos consumidores», aponta Ângela Teles.

Às matérias-primas e estruturas junta-se um processo de tingimento inovador, segundo a empresa, que foi desenvolvido em parceria com a Archroma. A combinação garante «economias de água e energia, na ordem dos 67% e 35%, respetivamente, quando comparado com o procedimento convencional de denim», sublinha a especialista em sustentabilidade. Além disso, refere, esta nova solução permite assegurar vantagens comparativas adicionais, na medida em que favorece, por um lado, «uma maior flexibilidade» e, por outro, «maior segurança, através do uso de corantes certificados pela ZDHC».

A nova gama de produtos, que pode ser usada em artigos mais ligeiros para o dia a dia ou ser otimizada para abordagens mais técnicas e de alto valor acrescentado, está a ser apresentada nas feiras do sector, nomeadamente na Munich Fabric Start, que termina hoje, a que se seguirá a Milano Unica, na próxima semana, e na Première Vision, a partir de 6 de fevereiro.

«Depois de um ano de 2023 que todos interiorizamos como de incerteza no plano internacional, e de um início de 2024 marcado por um otimismo moderado, a Riopele continua a investir para não ficar refém das circunstâncias e procura consolidar a presença juntos dos clientes tradicionais e perspetivar novas janelas de oportunidade», afirma José Alexandre Oliveira, presidente da empresa, sobre o périplo internacional da empresa neste primeiro semestre, que culminará no Modtissimo, a 21 e 22 de fevereiro.

Nesta primeira fase, a gama Indario está a ter mais aceitação nos países nórdicos, como Suécia e Finlândia, tradicionalmente mais sensíveis às questões relacionadas com a sustentabilidade, mas a Riopele espera uma reação semelhante em países como Alemanha e França, até pela atenção que foi dada à componente estética. «Sabemos bem que não chega apresentarmos produtos sustáveis, se não forem em simultâneo visualmente apelativos e capazes de entusiasmar o cliente», conclui Ângela Teles.