Impermeável à crise

O grupo de artigos de luxo Burberry revelou que as suas vendas apresentam boas performances, apesar das condições de comércio cada vez mais difíceis, ajudadas pela procura de estilos de calçado funky e variações da sua clÁssica gabardina. A empresa conhecida em todo o mundo pelo seu célebre xadrez ultrapassou as previsões, com um aumento de 26% no volume de negócios do primeiro trimestre. A Burberry, que começou em 1856 e fez nome a equipar os exploradores polares, revelou que as vendas nas lojas abertas hÁ pelo menos um ano aumentaram 4,5% nos três meses até 30 de Junho. Embora esse valor seja 6% inferior ao do último trimestre, a directora financeira, Stacey Cartwright, afirma que, excluindo mais uma performance fraca no negócio em Espanha, o crescimento do primeiro trimestre ficou em níveis semelhantes. O padrão de vendas de retalho permanece volÁtil em termos semanais, mas beneficiamos da nossa diversidade geogrÁfica», disse aos jornalistas em conferência, acrescentando que as vendas foram lideradas pela procura nos EUA, França, Alemanha e Coreia do Sul. Ao longo do último mês, as acções da Burberry perderam cerca de um quinto em valor devido aos receios de que o abrandamento no consumo atingisse as vendas, apesar do grupo de artigos de luxo acreditar que os seus consumidores abastados estão mais imunes ao abrandamento económico do que os outros. O British Retail Consortium sublinhou, aliÁs, que o comércio na Grã-Bretanha se mantém difícil, revelando uma quebra anual de 0,4% no valor das vendas de retalho comparÁveis em Junho. Contudo, a sueca H&M, o terceiro maior retalhista mundial em vendas, desafiou os mais pessimistas com um aumento de 8% nas vendas de Junho (ver Prova superada). Os analistas da JP Morgan afirmam que vão manter as previsões anuais para a Burberry, dadas as difíceis condições de comércio. Ainda assim, nenhuma alteração é melhor do que o que a maioria poderia temer», escreveram numa nota. A Burberry, que tem 97 lojas juntamente com 245 concessões, 41 outlets e 80 lojas a operar em regime de franchise, revelou que o volume de negócios do primeiro trimestre aumentou 26% a taxas de câmbio constantes, para os 211 milhões de libras (cerca de 265,23 milhões de euros). Um valor que supera as previsões de uma sondagem da Reuters junto de cinco analistas, que variavam entre os 188 milhões e os 204 milhões de libras. Cartwright revelou que a clÁssica gabardina do grupo continua com boas vendas, incluindo novas variações em tecidos mais leves e estilos mais justos, e que o calçado estÁ também com muita procura. O mais funky e excêntrico possível, é o que se estÁ realmente a vender… do topo da pirâmide às galochas», revelou. As vendas na Grã-Bretanha, que representam menos de 7% do total, foram bastante positivas», acrescentou Cartwright. Contudo, as vendas comparÁveis em Espanha caíram numa percentagem de dois dígitos. Cartwright afirma que o grupo estÁ a tomar medidas para melhorar a sua performance num mercado difícil, envolvendo mais as equipas de produto e de marketing no negócio. As vendas por grosso aumentaram 43% a taxas de câmbio constantes, devido sobretudo aos carregamentos mais cedo das gamas Outono-Inverno e o grupo manteve as suas previsões para um crescimento do volume de negócios de venda por grosso nos 10% para os primeiros seis meses até 30 de Setembro.