IMB cumpre todas as expectativas

Menos tempo, menor dimensão e melhores resultados: este é um resumo do balanço da IMB- World of Textile Processing 2006, realizada entre 10 e 13 de Maio, em Colónia. Tal como esperado a disponibilidade das empresas têxteis e de vestuário para investir aumentou. Esta observação é válida sobretudo para a área das tecnologias de informação (TI) que desempenhou um papel fundamental no corredor oito da feira. Também o resumo do director da Koelnmesse, Wolfgang Kranz, é positivo, «o sector mostra interesse no futuro com renovado optimismo». E é precisamente a pensar no futuro que a multinacional Gerber apresentou na IMB uma linha completa de soluções automatizadas para responder aos desafios que se colocam actualmente aos vários sectores das indústrias de materiais flexíveis e de confecção (ver notícia no Portugal Têxtil). «Além das largas dezenas de vendas concretizadas no local, nomeadamente de equipamentos de corte, máquinas de estender e sistemas de modelagem por computador, esta edição resultou em centenas de potenciais negócios», revela Francisco Aguiar, responsável de marketing para Portugal. «Em particular, registámos muitos contactos interessantes dos mercados emergentes». Também para Elgar Straub, da VDMA (Associação Alemã de Tecnologia de vestuário e Couro), «a IMB foi precisamente o que expositores e visitantes procuravam há muitos anos. Não assisti nos últimos anos em todo o mundo a nenhuma feira para o nosso sector que recebesse apreciações tão positivas». Os inúmeros quadros com inscrições “já vendido”, sobretudo nas máquinas de tricotagem do corredor 9, foram a prova inegável de muitos negócios feitos no local. A qualidade dos contactos estabelecidos na feira foi comprovada pelos números: 25.000 visitantes profissionais de 115 países trilharam o seu caminho até Colónia. Destes, 64 por cento eram estrangeiros. Desta forma, o número de visitantes aumentou 3 por cento comparativamente aos números de 2003. As 631 empresas expositoras vieram de 40 países diferentes. Os visitantes profissionais da Europa de Leste estiveram presentes em maior número do que no passado, mais precisamente da Rússia, Ucrânia, Roménia e Bulgária, para além dos visitantes da Turquia, países árabes, Ásia, América Latina e África do Sul. Em 2003 foram contadas 718 empresas de 46 países. Este ano 33 por cento das empresas presentes eram alemãs. A superfície bruta de exposição foi reduzida de 120.000 metros quadrados para 80.000 metros quadrados. A IMB foi a primeira feira a ser realizada no novo centro de feiras, em Colónia. Os corredores 6,7, 8 e 9 não estavam completamente ocupados. Uma novidade foi a mistura colorida do corredor 8 onde os produtores de máquinas tinham como vizinhança as empresas de TI. Uma tendência do sector voltou a acentuar-se na feira: a verticalização. Uma série de fornecedores especializados em soluções de retalho, misturaram-se com os seus clientes habituais da indústria. Também estas empresas relataram um interesse activo nos seus produtos e soluções. O fluxo de informação integrado desde o planeamento até ao ponto de venda é um tema central. Muitos dos clientes que visitaram a IMB pela primeira vez ficaram agradavelmente surpreendidos ao encontrar uma diversidade tão alargada de soluções para as suas necessidades específicas. «Este facto mostra como conceito da IMB é realmente forte e como os esforços realizados para atrair novos grupos-alvo foram bem sucedidos», afirma Henrik Mölleken, director de marketing da Dürkopp. Segundo Mölleken, o facto de a grande maioria dos visitantes profissionais dos novos grupo-alvo serem da Europa demonstra como o continente continua a ser uma região importante para esta indústria. As qualificações impressionantes dos visitantes resultaram na maior procura de sempre nos stands que esclareciam dúvidas relativamente a aplicações e a inovação atraiu grandes multidões. Nesta feira verificou-se um ênfase maior na comunicação e transferência de know-how, na gestão da relação com o cliente e em estabelecer novos contactos do que propriamente em conseguir novas encomendas, embora muitos expositores tenham registado um número muito positivo de encomendas realizadas durante a feira. A IMB ofereceu ainda outros eventos tal como o Fórum IMB, realizado a 11 de Maio, cujo tema principal foi a rápida mudança do mundo da TI e da logística. No total, cerca de 500 participantes tiveram a oportunidade de coordenar a sua visita à feira com a hipótese de aprofundar os seus conhecimentos nestas áreas. O assunto principal foi o PLM (gestão do ciclo de vida do produto). O Fórum incluiu ainda o Speaker’s Corner onde os expositores podiam apresentar as suas mais recentes inovações ao pormenor. Pela primeira vez foi também entregue o IMB Innovation Award para a inovação que melhor se adapta ao mercado relativamente ao processamento de materiais flexíveis. No campo da investigação o prémio foi entregue ao Instituto de Tecnologia Têxtil e de Vestuário da Universidade Técnica de Dresden pelo desenvolvimento de uma máquina que automatiza a produção de estofos de carros. O prémio na categoria de expositores da IMB foi recebido pela PFAFF Industrie Maschinen por um sistema programável de fusão cuja característica é o controlo total dos parâmetros via touchscreen. Será que este sucesso garante a IMB na Primavera de 2009 em Colónia?