Imagem vende mas não chega

O Jornal Têxtil faz a “fotografia” da relação entre os estilistas e as empresas. Como se pode comprovar pelo número de participantes nas entrevistas as parcerias têm aumentado, mas representam muito pouco do que é o volume de negócios da ITV nacional. É certo que se avançou, mas ainda é curto e a velocidade é lenta. Outras empresas nacionais têm percorrido outros caminhos alternativos para a marca própria, às vezes com mais sucesso. Mas o grosso do negócio do sector continua a ser a subcontratação. Cerca de 60% das exportações de vestuário de Espanha são asseguradas pela marcas industriais. Em Portugal, este valor é provavelmente menos de 2%, e a parte dos estilistas ainda é insignificante. Editorial Manuel Teixeira Jornal Têxtil Julho/Agosto 2002 Os links seguintes remetem para os artigos relacionados com o artigo anterior. Check-up a 4 uniões de facto I Check-up a 4 uniões de facto II Cinco processos em evolução