IAPMEI lança Programa FINICIA

A medida, que representa um investimento total de 114 milhões de euros (o Estado contribui com 64 milhões), foi realizada no âmbito da dinamização da oferta de instrumentos de inovação financeira, que contribuam para facilitar a capitalização e o acesso ao crédito pelas PME. O Programa FINICIA, em linha com as melhores práticas internacionais, promove o alargamento da base de acesso a capital e ao crédito, através do estabelecimento de parcerias público-privadas, proporcionando a empresas de pequena dimensão recursos essenciais ao desenvolvimento da actividade nas fases iniciais do seu ciclo de vida. Esta iniciativa assenta em três eixos de intervenção. No Eixo I, Projectos de Forte Conteúdo de Inovação, pretende-se apoiar de forma substancial o financiamento de projectos empresariais com elevada componente de Inovação. Para o efeito foi instituído um mecanismo de financiamento em que os promotores deverão assumir um mínimo de 15% de capital próprio, prevendo-se que a parte mais significativa, até 85%, do financiamento seja assegurada através de operadores de capital de risco. Já o Eixo II, Negócios Emergentes de Pequena Escala, funciona para negócios emergentes e de pequena dimensão. Para estas empresas são disponibilizados dois produtos de financiamento: o micro crédito para financiamento de investimento empresarial até 25 mil euros, e destinado exclusivamente a micro-empresas (até 9 trabalhadores) e o micro capital de risco para iniciativas no âmbito do fomento do espírito empreendedor, em particular as oriundas do meio académico cujo investimento não exceda, na fase de arranque, 50 mil euros. Por sua vez, o Eixo III, Iniciativas Empresariais de Interesse Regional, tem como objectivo valorizar mecanismos de financiamento que respondam às necessidades de investimento de um segmento de empresas de dimensão reduzida com actividade essencialmente de âmbito local, complementando a actuação de outros agentes públicos de desenvolvimento local e regional, entre os quais as Câmaras Municipais, as Agências de Desenvolvimento Local e as CCDR (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional).