Hyosung investe milhões para a produção de elastano bio

A produtora de elastano anunciou um novo projeto de investimento de mais de 900 milhões de euros para criar uma cadeia de aprovisionamento de base bio, incluindo a construção de várias unidades produtivas.

[©Hyosung]

A Hyosung está a responder à reorganização do mercado mundial de materiais, mais focado em produtos sustentáveis, com um investimento de mil milhões de dólares (cerca de 924 milhões de euros) para criar várias unidades produtivas de butanodiol de base bio capazes de produzir 200 mil toneladas deste composto.

O butanodiol (BDO) é usado como matéria-prima na produção de elastano. O composto tem ainda outras aplicações, nomeadamente na produção de plásticos, embalagens biodegradáveis, solas para calçado e compostos para a indústria.

A versão de base bio deste composto é feita com a fermentação de açúcares provenientes da cana-de-açúcar, que substitui as matérias-primas convencionais como carvão.

No Vietname, onde teve recentemente a aprovação das autoridades locais para o investimento, a Hyosung terá a maior fábrica mundial de produção de bio-elastano, sendo igualmente a primeira a nível global a permitir um sistema de produção deste material de base biológica, da matéria-prima à fibra. A Hyosung vai usar a tecnologia da Geno, com a qual fez uma parceria, que, refere a empresa sul-coreana, vai permitir «acelerar o projeto e desbloquear a produção e venda de bio-BDO com uma capacidade anual de 50.000 toneladas no primeiro semestre de 2026».

[©Hyosung]
A Hyosung vai produzir bio-BDO na sua fábrica no sul da província de Ba Ria-Vung Tau, produzirá a matéria-prima para o elastano numa fábrica próxima em Dong Nai, no sul da cidade de Ho Chi Minh, e utilizará tudo isso para produzir em massa o elastano regen BIO na fábrica de Dong Nai Spandex.

O sistema de produção integrado para bio-elastano está otimizado para clientes no mercado global de têxteis sustentáveis, incluindo marcas e retalhistas na Ásia, Europa e EUA. Este sistema, refere a empresa, aumenta a eficiência da produção através de um fornecimento estável de matérias-primas e permite uma resposta rápida às necessidades do mercado, acelerando as operações do sistema de produção. Além disso, acrescenta, assegura a competitividade dos custos através da redução dos gastos com transporte e reduz o impacto ambiental ao usar menos combustível no transporte.

«O negócio de base biológica, que transforma as matérias-primas fósseis convencionais noutras amigas do ambiente, vai tornar-se na pedra angular da Hyosung nos próximos 100 anos. Vamos melhorar o estatuto de marca premium da Hyosung ao reforçar a nossa penetração no mercado mundial de sustentabilidade com base no nosso sistema de produção consistente de bio-butanodiol e bio-elastano», sublinha Hyun-Joon Cho, presidente do conselho de administração da Hyosung.

Este ano, refere a Hyosung em comunicado, o mercado mundial de têxteis e moda sustentável estará avaliado em cerca de 23 mil milhões de dólares, com uma taxa de crescimento anual média a superar os 12,5%, devendo atingir 75 mil milhões de dólares em 2030, incluindo os negócios a montante e a jusante. A Hyosung planeia quintuplicar o volume de vendas de elastano sustentável, que atualmente representa 4% das vendas totais de elastano, para cerca de 20% até 2030.