H&M ultrapassada pela Inditex

A sueca Hennes & Mauritz (H&M) anunciou ontem um lucro líquido de 1,81 mil milhões de coroas (192,3 milhões de euros) no primeiro trimestre do ano, abaixo do esperado pelos analistas. «A Primavera tardia e o facto de a Páscoa só ocorrer em Abril conduziram a vendas fracas, sobretudo na Europa central», afirma o comunicado da H&M, que se vê ultrapassada como maior retalhista de pronto-a-vestir na Europa pelo grupo espanhol Inditex. O lucro líquido no trimestre que terminou em Fevereiro subiu para 1,81 mil milhões de coroas, contra os 1,5 mil milhões um ano antes, quando analistas citados pela Bloomberg esperavam um lucro de 1,86 mil milhões (197,6 milhões de euros). A margem de lucro do grupo sueco situa-se agora nos 56,5% (contra os 56,8% há um ano), fruto da maior taxação dos têxteis chineses e da ligeira valorização do dólar, tendo chegado no ano fiscal de 2005 ao valor recorde de 59,1 %, que a empresa espera manter este ano. Este valor significa que a companhia vende roupa a mais do dobro do preço que paga para as fazer ou comprar. Com vendas no valor de 6,7 mil milhões de eurosl em 2005 de , ou seja, mais 1,6% que as vendas da H&M o ano passado, segundo estimativas da Bloomberg, a Inditex, dona de marcas como a Zara, ultrapassou a companhia sueca. A empresa, que tinha no final de Fevereiro 1.196 lojas, tenciona abrir 54 novas lojas no próximo trimestre, com especial destaque para os Estados Unidos, a Alemanha, a Espanha, a Holanda e a Polónia. Em 2007, a empresa sueca planeia abrir a sua primeira loja na Grécia.