H&M cai 8%

As vendas comparáveis da H&M caíram 8% durante o passado mês de Setembro. As vendas totais, incluindo as lojas abertas no último ano, apresentaram todavia um crescimento de 1%. A H&M tinha 1.869 lojas abertas no final de Setembro, valor que compara com as 1.659 lojas abertas em igual período do ano anterior. Para a H&M, estes resultados ficaram a dever-se essencialmente à recessão económica vivida mundialmente e ao tempo mais quente que o habitual registado em alguns mercados onde a marca está presente. O grupo sueco considera as vendas «satisfatórias» perante as circunstâncias anormais vivenciadas. Apesar dessas circunstâncias, a H&M falhou as estimativas de vendas comparáveis pelo segundo mês consecutivom o que coloca uma pressão adicional na empresa para que consiga atingir os objectivos durante o corrente mês. Segundo alguns analistas, Setembro foi mais um mês fraco para a cadeia sueca que não está a reagir à estratégia de alguns dos seus concorrentes que têm baixado os preços para impulsionar as vendas. Uma atitude que pode ser positiva para a empresa que mantém uma estratégia coerente. tendo em vista que a baixa de preços por parte de outros retalhistas será algo que poderá desaparecer durante os próximos meses. Caso as vendas da H&M recuperem em Outubro é opinião da generalidade dos analistas que o mês de Setembro será rapidamente esquecido. O foco nos baixos custos e a expansão internacional têm ajudado a H&M e a sua rival Inditex, o maior retalhista de moda europeu, a reagir mais positivamente à crise económica do que outros concorrentes, como e o caso da Marks & Spencer, Next e Gap. Incluindo Setembro, a H&M viu as suas vendas comparáveis decair em 13 dos 14 últimos meses, sendo Abril deste ano a única excepção a este declínio. A Inditex., por seu lado, viu as suas vendas comparáveis crescerem 9% no período compreendido entre 1 de Agosto e 14 de Setembro. Apesar destes resultados, a H&M tem comunicado repetidamente que continua a ganhar quota de mercado aos seus concorrentes e que a crise económica lhe tem permitido angariar mais facilmente lojas em localizações mais atractivas.