História do linho é contada amanhã

O Museu da Indústria Têxtil, em Famalicão, acolhe, amanhã à tarde, a conferência “Um Fio de Linho no Concelho de Guimarães, séculos XIX e XX” sobre a história do linho, que inclui uma visita guiada às instalações do Grupo Folclórico da Corredoura.

[©Museu da Indústria Têxtil]

A conferência faz parte do V Ciclo de Conferências do Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave, em Vila Nova de Famalicão. O início está agendado para as 15h, amanhã, 25 de novembro, com entrada gratuita sujeita a inscrição através do email geral@museudeindustriatextil.org.

Sofia Manuela Ribeiro Vaz, arquivista na Agência Portuguesa do Ambiente (APA), é a oradora convidada para esta sessão em que será explorada a história do linho e o desenvolvimento da indústria têxtil em Guimarães, nomeadamente, as relações e transformações ocorridas nos séculos XIX e XX e o impacto na produção artesanal e na vida da população do concelho vimaranense. Sofia Manuela Ribeiro Vaz é doutoranda em História, tendo como tema central do seu doutoramento a produção do linho na bacia hidrográfica do rio Ave nos últimos dois séculos.

[©Museu da Indústria Têxtil]
O evento contempla ainda uma visita guiada às instalações do Grupo Folclórico da Corredoura, em São Torcato (Guimarães).

Esta será a segunda sessão do V Ciclo de Conferências do Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave, tendo a primeira sido dedicada ao património industrial portuense.

Já a terceira sessão está agendada para 9 de dezembro, às 15h, e terá como tema “Colectores de escorrências imundas: a poluição industrial na bacia hidrográfica do rio Ave (1892-1974)”. José Rafael da Silva Pereira Carmo Soares, da Universidade do Minho, será o orador convidado, a que se seguirá uma visita ao Reservatório Elevatório de Jovim, em Gondomar, das Águas do Douro e Paiva.