Heimtextil importante para empresas portuguesas

Esta 33ª edição da Heimtextil registou a participação de 3.268 expositores de 67 países, que receberam a visita de 89.500 visitantes oriundos de 123 países. Em comparação com a feira de 2002, há a registar um aumento nos visitantes estrangeiros (mais 8,7%, cerca de 42.500), os quais vieram na sua maioria do Reino Unido, Itália, Estados Unidos, França e Holanda. A Crispim Abreu & Ca. foi uma das empresas portuguesas presentes nesta Heimtextil. Questionada sobre a sua participação na Heimtextil, Virgínia Abreu faz um balanço claramente positivo da mesma, apontando o regresso dos grandes compradores, nomeadamente dos Estados Unidos e ainda um ambiente de maior optimismo em relação aos últimos anos. Esta empresa adianta ainda ter conseguido um conjunto importante de novos contactos em mercados muito interessantes, bem como um reforço das relações com os clientes existentes. Face à actividade desta feira, a Crispim Abreu. Considera que 2003 poderá vir a ser um ano de alguma retoma, nomeadamente ao nível dos produtos com maior incorporação de design, área para a qual esta empresa se encontra mais vocacionada. Em relação aos produtos apresentados nesta importante feira, a Crispim Abreu mostrou algumas novidades, como veludos com aplicações elásticas, estampados em malha polar e “faux-minks”. A colecção criada para a Heimtextil abrangeu assim vários temas, entre os quais coordenados de jogos de cama em malha “jersey”, mantas em malha polar, almofadas decorativas e artigos para bebé, entre outros. Entre estes, os artigos mais procurados foram as criações em malha polar, em especial as mantas, segmento em que a empresa é responsável por 35% do total das exportações portuguesas. Quanto ao futuro, a empresa de Riba de Ave revela que planeia continuar a participar na Heimtextil, uma vez que se trata de uma feira muito importante. A Crispim Abreu prevê mesmo aumentar a dimensão do seu stand na próxima edição do salão de Frankfurt, a fim de mostrar uma gama mais alargada de produtos. Além de marcar presença nesta feira, esta empresa participa igualmente no New York Home Textiles Show, que é um certame muito mais direccionado para o mercado norte-americano. Localizado no espaço nobre da prestigiada exposição internacional, o stand da Lameirinho foi o palco de apresentação da colecção “White is Beautiful”, uma colecção que fala de sonhos a cores sobre fundo branco. Romantic, Men, Teenager e Tradition foram os quatro temas direccionados e estruturados para públicos-alvo distintos, o que constituiu uma aposta deliberada na segmentação do mercado como forma de diferenciação e maior aproximação ao “target”, segundo Sílvia Correia, responsável pelo marketing internacional da empresa. A participação da Lameirinho com uma gestão estruturada em termos de colecção facilitou a apresentação dos seus produtos e inovações, pelo que o saldo foi positivo, tendo a empresa conseguido apresentar uma colecção que chegou mesmo a surpreender pela sua sensação de novidade e irreverência. O saco para edredão “Gelly Cubes” com estampado plastificado foi provavelmente um dos artigos mais tocados da exposição, e outras propostas como o “voile” estampado aplicado em piquet, um estampado com miner-foam “borracha” e um estampado em tela com seda e algodão foram também bastante apreciados. A Lameirinho está assim muito empenhada nos factores da inovação, do design, do marketing e da moda, os quais são capazes de conferir valor acrescentado aos respectivos produtos, só assim podendo ser mais competitiva e marcar a diferença, conclui Sílvia Correia. Outra das empresas nacionais que marcou presença nesta feira foi a Feitoria – Sociedade de Artes Decorativas. Segundo Mário Martins da Silva, gerente desta empresa, esta foi uma presença positiva, dado o ambiente positivo e optimista que se viveu nesta feira. A referida empresa apresentou na Heimetextil os seus produtos de roupa de cama, pijamas, banho, mesa e cozinha. Estes produtos destinam-se às boutiques de gama média e alta da Alemanha, trabalhando a Feitoria com vários fabricantes e contando com um agente neste país, tratando-se de uma empresa que aposta em produtos de qualidade e que trabalha apenas com o mercado alemão. Outro aspecto salientado por Mário Martins da Silva foi a falta de apoio por parte do governo e das entidades oficiais, que leva este responsável a considerar que daqui a quatro ou cinco anos será muito difícil manter os preços competitivos, especialmente tendo em conta a concorrência dos novos países da UE. Para Rogério Matos, da Mundotêxtil , a presença na Heimtextil teve um balanço positivo, dado que o stand desta empresa foi visitado pelos seus clientes habituais, e assim resultou numa dentro das expectativas. O objectivo desta presença foi apresentar os seus produtos, entre os quais se destacaram algumas novidades, como os produtos para banho lisos com a nova composição e os felpos em jacquard e duplo jacquard. Para a Mundotêxtil, a presença na Heimtextil é obrigatória, participando a empresa no salão de Frankfurt há já 24 anos. A Mundotêxtil costuma participar igualmente no New York Home Textiles, além de contar com um showroom permanente em Nova Iorque. Além destas, mais empresas portuguesas estiveram na recente Heimtextil, designadamente: ASA-Industria Têxtil, Armando da Silva Antunes, B. Sousa Dias & Filhos, Bianca Europe-Sociedade Têxteis, Coelima-Industrias Têxteis, Empresa Industrial Sampedro, Francisco Vaz da Costa Marques Filhos & Ca., Ginado, Habidecor, José Machado de Almeida & Ca., Têxteis Penedo e Têxteis Tarf.