Guess falha previsões

A Guess Inc ficou aquém das expectativas dos analistas para a sua previsão de lucro para o corrente ano e advertiu que a economia em muitos mercados continua incerta. O retalhista norte-americano, reconhecido pelos seus jeans, também referiu a quebra no movimento das suas lojas nos EUA durante o segundo trimestre e as promoções feitas por concorrentes no retalho. A empresa prevê margens operacionais mais baixas para o seu terceiro trimestre e salientou o efeito negativo do reforço do dólar na sua actividade no mercado europeu. A empresa sedeada em Los Angeles emitiu a mesma previsão de lucro para 2010 que apresentou inicialmente em Maio, na ordem dos 2,80 a 2,85 dólares por acção, decepcionando os investidores que esperavam um aumento. Wall Street previa um lucro médio anual de 2,92 dólares por acção, segundo a Thomson Reuters. As receitas deverão variar entre os 2,35 e os 2,40 mil milhões de dólares, comparadas com a perspectiva de Wall Street na ordem dos 2,39 mil milhões de dólares. A menor propensão paras calças e saias em denim, que os analistas de moda têm observado como uma nova tendência, é uma oportunidade para vender mais produtos, segundo os executivos. «Estamos basicamente no fim do domínio do denim», afirmou o presidente e co-fundador Maurice Marciano. «Agora temos outros tecidos a chegar e olho para isso como uma tremenda oportunidade”. Os consumidores vão continuar a comprar jeans, segundo Marciano, mas vão completar o seu guarda-roupa com um ou outro tipo de calças, quer seja veludo ou sarja. O denim representa cerca de 30% do total de produtos da empresa. A Guess divulgou ter vendido mais leggings e calções no segundo trimestre, para compensar a quebra na venda de jeans. O lucro líquido no segundo trimestre da Guess, que terminou a 31 de Julho, subiu 12% dos 59,6 milhões de dólares, ou 64 centavos de dólar por acção, registados um ano antes para os 66,8 milhões de dólares, ou 72 centavos de dólar por acção. Os analistas esperavam, em geral, ganhos de 68 centavos de dólar por acção. A receita cresceu 10,5% para os 577,1 milhões de dólares, ajudada pelo crescimento nas operações norte-americanas e europeias. Os analistas previam receitas de 576,4 milhões de dólares. A margem operacional caiu dos 17,4% para os 16,7% sobre as vendas no segundo trimestre. Para o terceiro trimestre, a Guess prevê que o lucro varie entre 55 e 58 centavos de dólar por acção sobre receitas de 565 a 580 milhões de dólares e margens operacionais em torno de 13,5% das vendas. Wall Street, por seu lado, prevê que o lucro seja de 57 centavos de dólar por acção.