Globe “regressa” às origens

A Lanidor, que conta com uma rede de 173 lojas em 12 países, acaba de avançar com a abertura de um primeiro estabelecimento da Globe em Espanha. Situado no centro comercial “La Moraleja Green”, em Madrid, este ponto de venda abriu as suas portas há cerca de um mês, segundo explicou Gil Osorio, responsável da Lanidor, no mercado espanhol. «Actualmente, esta primeira abertura é apenas um teste no mercado espanhol. Aparentemente, a loja foi bem recebida e, em função da sua evolução, vamos decidir como será a expansão da marca em Espanha. De qualquer forma, e independente disso, temos já um plano de crescimento marcado», assinalou Gil Osorio. A Globe nasceu nos anos oitenta, pelas mãos da designer Paloma Santaolalla e do seu marido Miguel Lanna. A partir dos acessórios, esta dupla estruturou uma cadeia com moda feminina a preços médios. Nos anos noventa venderam a cadeia de moda ao grupo português RV Trade e, em 1995, criaram a Nice Things, que hoje conta com 35 lojas em Espanha, Portugal, Grécia, França, Suiça e Andorra. A RV Trade manteve a Globe durante 10 anos, até começar a perder posicionamento no mercado. Em 2006, a Lanidor comprou a marca – que naquela altura contava com 29 lojas em Espanha e Portugal – por três milhões de euros. «Após a aquisição da Globe, optámos pela estratégia de fechar todas as lojas da marca em Espanha e substitui-las pela nossa cadeia», afirmou Osorio. A Lanidor opera no mercado com quatro conceitos – LA Woman, LA Kids, LA Caffe e LA Loft. De igual forma, a Lanidor relançou a Globe em Portugal. A empresa, que também é proprietária da marca Batalha, conta com 20 lojas Globe no nosso país, localizadas tanto em centros comerciais como em lojas de rua. «A empresa não descarta o crescimento da Globe nos mercados internacionais, ainda que neste momento este desenvolvimento se centre em Portugal e Espanha», indicou Gil Osorio. Presente em 12 países (Portugal, Espanha, Suiça, Arábia Saudita, Kuwait, Irlanda, Chipre, Jordânia, Qatar, Angola, Líbano e Equador), a Lanidor, por seu lado, prepara-se para entrar a curto prazo na Rússia, Grécia, Roménia, Bulgária, Polónia e Ucrânia. O grupo vende 2,5 milhões de peças ao ano, conta com 830 empregados e facturou 75 milhões de euros em 2009.