GFA e Nações Unidas estão a ouvir a ITV

As duas entidades estão a convidar as partes interessadas da indústria da moda, das marcas aos produtores, a contribuir para a identificação das melhores formas de reduzir o seu impacto no meio ambiente.

[©GFA]

Marcas, retalhistas, organizações não-governamentais, produtores, administradores de terras, comunidades indígenas, fornecedores de dados, inovadores, instituições financeiras, decisores políticos, universidades e organismos de certificação estão entre os convidados a partilhar os seus conhecimentos.

O inquérito, que está disponível online até 31 de maio em vários idiomas, incluindo inglês, francês e espanhol, pretende reunir a visão de todos os envolvidos na indústria da moda sobre os principais marcos que a indústria deve procurar atingir e identificar as ferramentas e o apoio necessários para acelerar a ação. As respostas serão anónimas e agregadas, sem atribuição a empresas ou organizações individuais.

Os tópicos deste inquérito, lançado pela Global Fashion Agenda (GFA) e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), estão alinhados com as cinco prioridades da Fashion CEO Agenda: ambientes de trabalho seguros e respeitadores, melhores sistemas salariais, gestão de recursos, escolhas inteligentes de materiais e sistemas circulares.

«Embora as rotas de viagem variem de acordo com o ator, a região e o contexto, a nossa indústria deve atingir a positividade líquida o mais tardar em 2050», aponta um comunicado da GFA.

«Para conseguir isso, a consulta ajudará a esclarecer o progresso atual e a impulsionar a responsabilização por uma série de objetivos consistentes, mensuráveis, monitorizados e completos que devem ser focados para acelerar o impacto», acrescenta.

O estudo Fashion Industry Target Consultation foi lançado na COP27, em 2022, para fazer convergir as ambições existentes alinhadas da indústria, bem como para formular novas.

Participaram mais de 900 stakeholders de 90 países e as ambições identificadas foram incluídas na Fashion CEO Agenda. A consulta também forneceu a base para o Monitor GFA de 2023.