Gap no bom caminho

A norte-americana Gap anunciou recentemente que os seus lucros foram reduzidos em 8,3% no último trimestre do ano passado. Apesar desta redução, os resultados foram aplaudidos pelos analistas, que elogiaram o foco que o retalhista está a fazer na contenção dos seus gastos. Fecho de lojas, gestão mais apurada de stocks e políticas de controlo de custos são, assim, os motivos do contentamento de quem observa a performance da empresa. Como muitos retalhistas de moda, a Gap está confrontada com vendas estagnadas em todas as suas divisões, à medida que os consumidores cortam na compra de artigos não essenciais como é o caso dos de moda. Apesar disso, o gigante americano, está em melhor posição do que os seus concorrentes, porque começou a controlar os níveis de stocks antes desta recessão (ver Soluções para crescer). O realinhamento da estrutura de custos e o aumento das margens da Gap ao longo dos últimos 12 meses deixou impressionados os analistas que acompanham a empresa. Após este esforço de redução de custos, a Gap vai centrar os seus esforços na reconstrução da sua imagem de marca e na atracção de um maior número de clientes para as suas lojas. O retalhista sedeado em São Francisco apresenta actualmente uma sólida posição financeira, mas terá agora que concentrar os seus esforços no aumento das receitas durante a segunda metade de 2009. O volume de negócios da empresa caiu 13% no último trimestre de 2008, para os 4,08 mil milhões de dólares.