Finlandeses apontam caminho para o DPP

Um programa de investigação transversal a diferentes indústrias explorou as potenciais oportunidades e os desafios da adoção do Passaporte Digital do Produto e revela agora sete recomendações para a UE.

[©Sitra]

A investigação envolveu quatro projetos-piloto, incluindo um liderado pela marca têxtil finlandesa Halti, em parceria com a associação finlandesa da indústria têxtil e da moda, a consultora digital Futurice e a autora do documento de trabalho Sitra, que explorou as implicações práticas de como uma empresa têxtil de média dimensão pode desenvolver uma solução de Passaporte Digital do Produto (DPP na sigla em inglês) e retirar benefícios disso.

Atualmente em desenvolvimento, o DPP da UE tem como objetivo incentivar as partes interessadas na cadeia de valor a partilharem informações regulamentares sobre os produtos, bem como o impacto ambiental da produção, utilização e reciclagem em fim de vida. Também ajudará a estabelecer um novo padrão onde os têxteis sejam duráveis, facilmente reparáveis ​​e recicláveis ​​de forma eficiente em matérias-primas de elevada qualidade.

Com as marcas de moda a serem instadas a assumir a responsabilidade por todo o ciclo de vida do produto, o documento Digital Product Passports: Catalysing Europe’s Sustainable Growth sustenta que ainda há espaço para melhorias significativas em termos de rastreabilidade em toda a cadeia de aprovisionamento e transparência de dados do produto aos clientes. O documento também observa que há necessidade de infraestruturas comuns para permitir a reciclagem de têxteis.

«A solução DPP pode servir tanto consumidores como parceiros de negócios ao fornecer exemplos de informações sobre produtos de uma forma fácil de usar», explica Laura Roman, chefe de operações e sustentabilidade da Halti. «O DPP fornecerá informações úteis a todas as partes interessadas no ciclo de vida de um produto e prolongará a sua vida útil através da partilha de dados facilmente acessíveis em diferentes fases da sua vida», acrescenta.

O documento descreve vários benefícios dos DPP, incluindo permitir que os consumidores tenham acesso a dados como o conteúdo reciclado e a pegada de carbono para tomar decisões de compra de têxteis mais sustentáveis, ajudar os consumidores a prolongar o ciclo de vida dos têxteis através do acesso aos dados e permitir que as autoridades tenham acesso à declaração aduaneira de produtos têxteis.

Os DPP também podem ajudar os recicladores a aceder a informações sobre materiais e produtos químicos para reciclar têxteis de forma mais eficiente e segura, aponta o documento.

Os principais desafios, no entanto, mostram que, embora os dados estejam disponíveis nos sistemas dos proprietários e dos fornecedores das marcas, subsistem problemas na sua transferência ao longo da cadeia de valor têxtil e que a falta de normas dificulta a comparabilidade dos produtos têxteis entre marcas.

O projeto-piloto também constatou que, mesmo com dados mínimos no DPP, o investimento em tecnologias de informação, incluindo bases de dados e sistemas de controlo de acesso e manutenção de dados, é significativo. Existem também potenciais desafios na determinação de onde e como imprimir e aplicar etiquetas de produtos (por exemplo, códigos QR) para garantir a durabilidade ao longo do longo ciclo de vida do produto.

O documento faz, por isso, sete recomendações à União Europeia para apoiar o desenvolvimento de um novo quadro regulamentar para um DPP, nomeadamente: apoiar a indústria na preparação para o DPP; ter o sector público a liderar para servir de exemplo na adoção do DPP; apoiar o investimento no desenvolvimento de produto, projetos-piloto e redes empresariais relacionadas com este tema; trabalhar na padronização para que haja interoperabilidade do sistema; apoiar a utilização de diferentes identificadores de produto para que os DPP possam responder às necessidades específicas da indústria e dos utilizadores; reforçar a infraestrutura de armazenamento e partilha de dados; e promover um modelo de governança para os DPP para clarificar as regras para todos os envolvidos.