Fast Retailing começa ano com o pé direito

A proprietária da Uniqlo aumentou as vendas no primeiro trimestre do ano fiscal, incluindo na Europa, onde continua a ganhar terreno com a sua proposta de valor e onde espera crescer significativamente, em vendas e lucro.

[©Fast Retailing]

O volume de negócios da Fast Retailing registou um crescimento para 810,8 mil milhões de ienes (cerca de 5,61 mil milhões de euros) nos três meses até novembro de 2023, equivalente ao primeiro trimestre do ano fiscal de 2024, o que representa um aumento de 13,2% face ao mesmo período do ano anterior. O lucro operacional da empresa também cresceu (+25,3%), para 146,6 mil milhões de ienes.

O forte desempenho foi atribuído a todas as operações internacionais da Uniqlo, que geraram aumentos significativos tanto nas receitas como nos lucros. O volume de negócios atingiu 441,3 mil milhões de ienes, uma subida de 23,3%, e o lucro operacional foi de 77,8 mil milhões de ienes, equivalente a mais 35,8%.

As regiões da Grande China, América do Norte e Europa relataram aumentos significativos na receita e no lucro para a empresa. No entanto, a região do Sudeste Asiático, Índia e Austrália ficou um pouco aquém das estimativas de negócio, apesar de gerar ganhos significativos.

Na Europa, a Fast Retailing registou um crescimento de 34,2% nas vendas, em comparação com o mesmo período do ano anterior. A Uniqlo International contribuiu de forma significativa para este crescimento, com um aumento de 23,3% na receita e de 35,8% no lucro operacional.

A Uniqlo tem vindo a ganhar popularidade entre os consumidores europeus, com a sua abordagem minimalista e funcional ao vestuário a ser bem recebida em mercados como o Reino Unido, França e Alemanha. A empresa tem vindo a investir na expansão da sua presença na região, abrindo novas lojas em cidades como Paris, Milão e Berlim. A Fast Retailing também tem vindo a trabalhar na otimização do seu mix de produtos, adaptando-o às necessidades e preferências dos consumidores europeus, que compraram especialmente camisolas em caxemira, roupa interior técnica e outros artigos essenciais de inverno, revela.

Na América do Norte, onde a Fast Retailing conta 53 lojas nos EUA e 19 no Canadá, as vendas subiram 22,3%.

«A Uniqlo continua a sua trajetória ascendente, especialmente na Europa e na América do Norte, onde as vendas aumentaram 34,2% e 22,3%, respetivamente – um crescimento impressionante, tendo em conta os já elevados crescimentos que as duas regiões experimentaram no último ano fiscal do grupo», aponta Louise Deglise-Favre, analista de vestuário da GlobalData, em declarações ao Just Style.

«O valor pelo dinheiro tem sido particularmente importante para os consumidores nestas regiões, onde a elevada inflação e as dificuldades macroeconómicas levaram muitos consumidores a analisarem de forma mais cautelosa as suas compras de vestuário, assegurando-se que o dinheiro estava a ser bem gasto em peças de vestuário mais duradouras, que possam usar muitas vezes – que é exatamente a proposta de valor da Uniqlo», acrescenta.

Quanto ao ano fiscal completo, a Fast Retailing mantém as previsões de atingir um crescimento superior a 10% do volume de negócios, para mais de 3 biliões de ienes, e de 18% no lucro, que deverá atingir 450 mil milhões de ienes. Em termos internacionais, as expectativas é que a Uniqlo «consiga um volume de negócios e um lucro significativamente mais elevado no primeiro semestre fiscal de 2024» em comparação com o mesmo período de 2023, para o qual contribuirão «aumentos superiores ao esperado» na América do Norte e na Europa.