Fábrica-piloto da Renewcell vendida

A unidade da empresa sueca de reciclagem em Kristnehamn está agora nas mãos da conterrânea Biosorbe, que vai usar a fábrica de 10 mil metros quadrados para expandir a produção de materiais absorventes de óleo.

[©Renewcell-Alexander Donka]

A Biosorve anunciou ontem, 14 de maio, a compra da fábrica-piloto da Renewcell, que entrou em insolvência no início deste ano. Esta unidade tinha sido instalada em 2018 e usada para transformar várias toneladas de vestuário usado na polpa Circulose, antes da empresa ter procurado outra localização para aumentar a sua capacidade. A fábrica de Sundsvall, batizada Renewcell 1 porque tinha como objetivo ser a primeira de uma série de unidades semelhantes para impulsionar a produção de celulose artificial sem recurso a madeira, ainda permanece sob a alçada da Renewcell.

A última atualização do administrador de insolvência Lars-Henrik Andersson foi feita no final de março, altura em que confirmou que a Renewcell recebeu várias propostas para os seus ativos. O encerramento do processo, afirmou na altura, era esperado para meados de abril.

A última notícia veio da organização florestal sem fins lucrativos Canopy, que publicou uma nota no LinkedIn esta semana, na qual informa que «vários licitadores ainda estão em devida diligência e, como todos sabemos, isso leva tempo». Ao mesmo tempo, afirma, «marcas, produtores e fornecedores estão a ter grande sucesso com a integração da Circulose nas suas linhas de produto», incluindo, entre as mais recentes, a Reformation, Stella McCartney e Faherty Brand.

Embora o produto da Biosorbe seja muito diferente da Circulose, assemelhando-se a bolas de penugem, enquanto a polpa da Renewcell seja produzida em folhas rígidas semelhantes a papelão, a fábrica de Kristinehamn é «adequada para os seus fins» e irá contribuir para o aumento da produção, indica a Biosorbe. A produção nestas instalações deverá começar ainda este mês.

«Neste momento estamos em processo de mudança para as instalações e de preparação para o início da produção», refere Kajsa Fougner, CEO da Biosorbe. «A aquisição da fábrica de Kristinehamn também significará que a sede da Biosorbe se mudará de Karlstad para Kristinehamn num futuro próximo, como parte do desenvolvimento contínuo. A Biosorbe está a desenvolver-se em vários níveis», conclui.