Euromed avança na liberalização dos serviços

Na quinta Conferência da Euromed sobre o comércio, que decorreu em Marraquexe no dia 24 de Março, a União Europeia (UE) iniciou negociações com diversos países mediterrânicos no sentido da liberalização dos serviços. De acordo com o Comissário europeu para o Comércio, Peter Mandelson, o início das negociações sobre os serviços com o Egipto, Israel, Jordânia, Líbano, Autoridade Palestiniana e Tunísia, vai beneficiar o crescimento económico e estimular o investimento. Mandelson salientou ainda que as negociações sobre a liberalização dos serviços são um passo importante, no sentido da criação de uma zona Euro-mediterrânica de livre comércio. O sector dos serviços é fundamental para as economias dos países a Sul do Mediterrâneo. Os serviços são responsáveis por cerca de 50% do PIB no Egipto, Marrocos e Síria, e representam cerca de 70% do PIB na Jordânia e no Líbano, representando 60% no caso da Tunísia. No entanto, o comércio de serviços com os países do Mediterrâneo representa actualmente apenas 3,5% do total do comércio de serviços na UE. As exportações de serviços do Mediterrâneo para a UE estão actualmente significativamente relacionadas com o turismo, mas existe potencial real em diversos sectores, nomeadamente: serviços financeiros, telecomunicações, distribuição, energia, serviços ambientais e transporte. Em conjunto com a liberalização dos serviços, os ministros avaliaram formas e meios para reforçar a integração regional entre as regiões do Sul, solidificar a convergência da regulamentação sobre os produtos industriais, aprofundar a liberalização agrícola e melhorar o enquadramento institucional e legal. O objectivo é criar uma zona Euro-mediterrânica de livre comércio até 2010. Quatro meses após a cimeira de Barcelona que marcou o 10.º aniversário do processo de Barcelona, a reunião ministerial de Marraquexe surgiu num momento importante, tendo por objectivo revigorar o processo Euromed com um programa de trabalho ambicioso ao nível comercial.