Etam quer recuperar acções

A retalhista francesa de vestuário e lingerie pretende reaver até 26,5% do seu capital social, num negócio cujo valor ascende a 101 milhões de euros. A Etam, que registou um volume de vendas na ordem dos mil milhões de euros em 2009, oferece 35 euros por acção para a aquisição de 2,9 milhões de títulos. O objectivo do acordo é oferecer aos accionistas que quiserem vender a possibilidade de fazê-lo com ganhos, enquanto o grupo enfrenta as dificuldades no mercado europeu, conforme referiu o presidente executivo Laurent Milchior. «Existe um trabalho considerável de reorganização pela frente [para a Etam] na Europa, que não vai dar frutos de imediato (…) Achamos saudável oferecer aos accionistas (…) a possibilidade de saída», explicou o responsável. Quando questionado sobre se a Etam pretendia sair da bolsa de valores ou vender o negócio, Milchior disse que nenhuma das opções era desejável. A Etam foi alvo de especulações de aquisição durante vários meses, com alguns analistas a esperarem pela oferta de uma empresa de capital de risco. As famílias Milchior e Tarica, principais accionistas da Etam com quotas de 39% e 11%, respectivamente, anunciaram que não iriam participar na oferta de reaquisição. Se a oferta for bem sucedida, o seu controlo accionista de 50,3% subiria para 68,5%, deixando um free float de 31,5%, segundo Milchior. O acordo pode ajudar a estabelecer uma base para o preço das acções da Etam em cerca de 35 euros, de acordo com um analista sedeado em Paris. «Isso poderia servir como um patamar de preço até chegar, eventualmente, uma nova oferta [da Etam]», refere o analista, acrescentando que actualmente a Etam não se podia dar ao luxo de comprar todas as suas acções em free float, nem quer vender a um comprador de capital de risco. O stock triplicou nos últimos 12 meses devido à redução de custos e fortes vendas na China e em França. Mas os números do primeiro trimestre da Etam mostram uma diminuição de 5,5% das vendas na Europa. A empresa anunciou que estava a trabalhar em medidas de recuperação, após 10 trimestres consecutivos de declínio nas vendas europeias, com base em igual número de lojas. A Etam conta com as modelos checa Eva Herzigova e russa Natalia Vodianova como embaixadoras da marca. Vende mais de 50 milhões de produtos por ano, sendo algumas das suas colecções desenhadas por Lolita Lempicka. A história da Etam remonta ao fundador Max Lindeman em Berlim, no ano 1916 e em 1928 abriu a sua loja na rue Saint Honoré, em Paris. A empresa está cotada em bolsa desde 1997. Entre as rivais incluem-se nomes como Princesse Tam Tam e a alemã Hunkemoller. A Etam tem lutando para afastar a concorrência feroz dos retalhistas mais agressivos, como H&M, Gap e Zara. No entanto, acabou por vender as suas lojas no Reino Unido a Philip Green em 2005.