Em crescimento

O forte crescimento das vendas na Europa, Ásia e nas Américas tem ajudado a Nike, empresa líder mundial no sportswear, a concretizar um salto de 12% nos lucros do segundo trimestre do ano, relativamente a igual período de 2007. Ao longo dos três meses até 31 de Maio, as receitas líquidas subiram para os 490,5 milhões de dólares a partir dos 437,9 milhões de dólares registados em igual período do ano anterior, e os ganhos por acção subiram 14% para os 0,98 dólares a partir dos 0,86 dólares. O volume de negócios para o trimestre aumentou 16%, marcando 27 trimestres consecutivos de crescimento nas receitas anuais, que subiram para os 5,1 mil milhões de dólares, a partir dos 4,4 mil milhões de dólares para o mesmo período do ano passado. Apesar do crescimento mais acentuado das vendas ter sido registado na Ásia-Pacífico, a força da marca Nike nos EUA ajudou a aumentar as receitas em 4% para os 1,7 mil milhões de dólares. As receitas do calçado no mercado norte-americano subiram 6% para os 1,1 mil milhões de dólares e 2% no vestuÁrio para os 447,9 milhões de dólares, mas as receitas dos equipamentos caíram 15%, para os 78,2 milhões de dólares. As vendas na Europa cresceram 19%, para os 1,5 mil milhões de dólares, relativamente aos 1,3 mil milhões de dólares registados em igual período do ano passado, sendo as mudanças nas taxas cambiais responsÁveis por aumentar o crescimento das receitas em 15 pontos percentuais. As receitas do calçado na Europa aumentaram 17% para os 889,2 milhões de dólares, as receitas no vestuÁrio cresceram 22% para os 531,1 milhões de dólares e nos equipamentos as receitas aumentaram 16% para os 113,9 milhões de dólares. O crescimento mais forte das vendas trimestrais foi registado na região da Ásia-Pacífico, onde as receitas subiram 39% para os 828,0 milhões de dólares, com base nos 596,9 milhões de dólares hÁ um ano atrÁs. O crescimento foi impulsionado por um salto de 42% nas receitas do calçado para os 422,0 milhões de dólares e de 40% nas vendas de vestuÁrio que se cifraram nos 37,7 milhões de dólares. Nos equipamentos, as receitas cresceram 14% para os 68,3 milhões de dólares. Na região das Américas (excluindo o mercado norte-americano), as vendas aumentaram 30% para os 306,6 milhões de dólares, impulsionadas pelo calçado com uma subida de 19% para os 202,1 milhões de dólares, o vestuÁrio registou um crescimento de 77% nas receitas para os 78,9 milhões de dólares, e os equipamentos uma subida de 22% para os 25,6 milhões de dólares. Nas outras actividades da empresa, que incluem as marcas Converse, Nike Golf, Cole Haan, Nike Bauer Hockey, Hurley International e Umbro, as receitas do trimestre cresceram 15%, para os 749,5 milhões de dólares, em relação a igual período de 2007. Vamos continuar a investir na inovação dos produtos, ligações profundas marcas, melhoria da apresentação no retalho, e na eficÁcia operacional», concluiu Mark Parker, presidente e director executivo da Nike.