Ecovative abre patente na Europa

A americana Ecovative está a tornar a patente dos materiais de micélio MycoComposite aberta na Europa, podendo a mesma ser agora usada por todos os indivíduos e empresas nas suas próprias inovações.

MycoComposite [©Ecovative]

O MycoComposite é uma combinação de dois ingredientes – micélio de cogumelo e fibras de plantas trituradas, como kenaf, caules de cânhamo e outros resíduos agrícolas. O micélio une os materiais para criar um compósito natural que é, segundo a empresa, altamente versátil e pode ser usado numa vasta gama de aplicações. O processo exige poucos recursos energéticos e o artigo final é 100% de base biológica. Também permite a criação de produtos que não contêm químicos permanentes e outras substâncias tóxicas como formaldeído.

A patente delineia uma estratégia para a criação de compósitos de micélio renováveis, o que, sublinha a Ecovative, oferece uma solução promissora para reduzir as emissões de dióxido de carbono em várias indústrias.

«O objetivo da Ecovative sempre foi providenciar ferramentas para uma nova geração de negócios que percebem o potencial da tecnologia de micélio», afirma Eben Bayer, CEO e cofundador da Ecovative. «A crescente procura por produtos e processos que beneficiem o ambiente está a criar imensas novas oportunidades – não para reinventar a roda, mas para mudar o material da roda – e estamos entusiasmados por ver novas descobertas e soluções escaláveis feitas com esta tecnologia versátil», acrescenta.

O Programa Europeu de Patente Aberta para o MycoComposite foi pensado para encorajar a inovação em produtos sem plástico. A patente está já a ser aplicada em todo o mundo em embalagens, materiais de construção, arquitetura e outras aplicações para substituir a utilização de petroquímicos.

O material está a ser utilizado, por exemplo, pela neerlandesa Loop Biotech, que está a produzir caixões e urnas feitas com micélio.

«A Loop Biotech viu, em primeira mão, a enorme procura por soluções amigas do ambiente permitidas pelos materiais de micélio», revela Bob Hendrikx, fundador da Loop Biotech. «Comecei esta empresa para ajudar a humanidade a deixar uma pegada positiva na Terra, o que apenas é possível quando colaboramos com organismos vivos como fungos», acredita.

Um aumento acentuado do interesse na Europa para aplicações empresariais de MycoComposite torna a região o ambiente ideal para testar o potencial das patentes de acesso aberto para aumentar as inovações e negócios à volta da tecnologia de micélio, aponta a Ecovative, que tem várias patentes e aplicações relacionadas com a produção de micélio e desenvolvimento mundial de produtos.