E-commerce alemão dá sinais de melhoria

Os retalhistas online do país foram duramente afetados pela reduzida disposição dos consumidores para gastar dinheiro em 2023, mas espera-se um fim da tendência descendente este ano.

[©Pixabay-Hannes Edinger]

As vendas brutas de bens no comércio eletrónico na maior economia da Europa caíram pela primeira vez em 2023, registando uma diminuição de dois dígitos de 11,8%, para 79,7 mil milhões de euros, de acordo com a associação de comércio eletrónico BEVH.

Além disso, a tendência de recuperação nos serviços digitais, como a venda de bilhetes para concertos, enfraqueceu, tendo aumentado 12,7% em 2023, em comparação com os 39,9% do ano anterior. Isso fez com que as vendas da indústria no comércio eletrónico como um todo – incluindo bens e serviços – tenham ficado abaixo de 100 mil milhões de euros pela primeira vez desde 2020, acrescenta a BEVH.

A proporção de clientes online regularmente ativos – que fizeram compras nos últimos sete dias – caiu para apenas 34,3%, uma quota significativamente menor do que em 2019, quando a percentagem média anual foi de cerca de 40% e ficou abaixo da média dos últimos quatro anos.

No entanto, a frequência de encomendas por cliente dá sinais cautelosos de melhoria, evidentes na quota de consumidores que fazem mais de uma compra nos últimos sete dias. O valor inicialmente caiu cerca de 10% desde o primeiro trimestre de 2022, mas voltou a estabilizar e tem vindo a subir ligeiramente nos últimos três trimestres, para a quota atual de 35,9%.

«Esperamos que o comércio eletrónico alemão atinja o seu nível mais baixo ao longo do ano. Com um declínio de 7,1%, o quarto trimestre de 2023 foi o primeiro trimestre com um declínio de apenas um dígito desde o início do verão de 2022 e indica que as vendas irão estabilizar no futuro», aponta Gero Furchheim, presidente da BEVH e porta-voz do Conselho de Administração da Cairo AG. «No ano passado, o retalho online foi muito afetado em categorias de produto como vestuário e artigos de entretenimento, onde os consumidores alemães foram particularmente poupados. No entanto, continua ancorado em todas as faixas etárias, continua a receber excelentes avaliações dos consumidores e permanece fiel ao seu papel de inovador», acrescenta.

Os efeitos da incerteza económica estão a condicionar o comportamento de consumo dos alemães, e prevê-se um crescimento nominal das vendas de 2,0% no mercado global para todo o ano de 2024, segundo uma avaliação conjunta do BEVH e do Instituto de Retalho EHI.