E as empresas mais inovadoras são…

Circ, Loewe, Canada Goose, Todd Snyder e Citizens of Humanity são algumas das marcas e empresas que entraram no top 10 das empresas mais inovadoras da indústria de vestuário e moda em 2024.

[©Beyoncé Facebook]

O ranking, estabelecida pela Fast Company, ilustra a recuperação da indústria da moda após a pandemia, com designs mais ousados pensados para celebrar a vida e espoletar o debate.

Para a publicação, ninguém teve mais influência na moda do que Beyoncé, que transformou a bem-sucedida digressão Renaissance World Tour na maior passerelle do mundo, tendo colaborado com seus designers favoritos para criar mais de 140 coordenados customizados, o que vale à Parkwood Entertainment o primeiro lugar desta classificação.

«Os looks abrangeram o universo da moda. Ela prestou homenagem a looks de arquivo, como o minivestido Versace com o estampado Medusa, que é a assinatura da marca. Ela abraçou o estilo de rua, como peças camufladas brilhantes da Telfar que ela e filha usaram enquanto dançavam juntas “My Power”. E houve looks que saíram da passerelle, como o macacão Loewe estampado com mãos que se estendiam pelo corpo de Beyoncé, do desfile outono-inverno 2022 da marca. Para os designers, aparecerem no palco foi como ganhar a sorte grande: viram as vendas aumentar e o reconhecimento da marca disparar», sublinha a Fast Company.

[©Hill House Home]
Mas outros designers estão a deixar a sua marca. A Todd Snyder desenvolveu uma versão moderna dos uniformes escolares americanos, misturando peças clássicas como blazers e mocassins novas formas a pensar nos homens elegantes da Geração Millennial. A Hill House Home, que ocupa o nono lugar neste ranking, transformou um vestido que pode ser usado para sair ou dormir – que se tornou viral durante a pandemia pela sua silhueta confortável, mas feminina – numa marca completa de lifestyle, abrangendo desde vestidos de noiva a papéis de parede com base nos estampados mais vendidos.

A Larroudé, uma start-up de calçado de luxo, ocupa o sexto lugar, enquanto a marca de roupa interior modeladora Skims, fundada por Kim Kardashian, assegurou o terceiro lugar pela expansão da estética minimalista, monocromática e envolvente a novas categorias, nomeadamente a moda masculina e loungewear.

A Fast Company realça ainda que, à medida que as alterações climáticas continuam a dar sinais de agravamento, as marcas têm trabalhado para mitigar a pegada ambiental da moda.

A Canada Goose erradicou os PFAS – produtos químicos perigosos utilizados em vestuário exterior que permanecem nos corpos e no ambiente – de toda a sua linha antes do previsto e, por isso, ocupa o quinto lugar, enquanto a Citizens of Humanity investiu fortemente na agricultura regenerativa, inspirando outras marcas a fazerem o mesmo.

Já a Circ, que desenvolveu uma tecnologia para reciclar as misturas de poliéster/algodão, uma das mais usadas no mercado, fecha o ranking, «por aproximar a indústria da reciclagem de vestuário a larga escala».

A lista completa é composta, do número um para o número 10, pela Parkwood Entertainment; Loewe; Skims; Rimowa; Canada Goose; Larroudé; Todd Snyder; Citizen of Humanity Group; Hill House Home; e Circ.

[©Circ]