Design ajuda doentes crónicas

Quando as pacientes que sofrem de linfedema (uma doença provocada pelo mau funcionamento do sistema linfÁtico) do Programa de Sobreviventes do Cancro da Mama do Hospital Princesa Margarida mencionaram as dificuldades derivadas do inchaço nos braços e riscos de infecção acrescidos devido ao vestuÁrio e acessórios, o hospital recrutou investigadores da Ryerson University para encontrarem uma solução. Sandra Tullio-Pow e Sue Barnwell, professoras na Escola de Moda da Universidade de Ryerson, no CanadÁ, colaboraram com a médica Joyce Nyhof-Young do hospital num projecto de investigação multifaseado para responder às necessidades específicas em vestuÁrio dos 10 a 30% das sobreviventes de cancro da mama afectadas por esta condição crónica. Levado a cabo com base em grupos retirados do Programa de Sobreviventes, o projecto identificou as suas necessidades especiais e testou na prÁtica os designs daí resultantes. FicÁmos surpreendidas de como o vestuÁrio bÁsico era um desafio para as mulheres com linfedema – como ficavam limitadas», revela Tullio-Pow, cuja experiência se situa na Área do design de vestuÁrio funcional. Disseram-nos que não eram capazes de apertar um botão, ou facilmente abrir fechos de velcro e preocupavam-se com o facto dos fechos zip em metal poderem arranhar a pele e provocar infecções. Assim que soubemos o que precisavam, as soluções foram fÁceis de criar». Focando-se no estilo, conforto e performance, a equipa desenhou uma carteira inovadora para estas mulheres. A carteira modular, com uma faixa de apoio incorporada e escondida para conforto do braço, tem ainda uma tira ajustÁvel para uma distribuição equitativa do peso no ombro, fechos simples de usar e um sistema fÁcil de usar para ligar os módulos. Perfeita para deixar as mãos livres, os módulos também podem ser apertados à cintura. O design permite uma flexibilidade e versatilidade de estilo, podendo ser produzida em diversas cores e materiais. O aspecto realmente recompensador deste projecto é que estas mulheres disseram-nos que queriam uma carteira com estilo, não um aparelho médico, e de repente têm pessoas que lhes perguntam onde podem comprar uma carteira igual», afirma Barnwell. A carteira é agora o centro da pesquisa de Tullio-Pow e Barnwell. Durante a anÁlise inicial de necessidades, a dupla criou também uma linha de vestuÁrio completa para o grupo (quatro tops, umas calças, um casaco, uma blusa e uma capa). Os modelos incorporaram mangas largas em peças com estilo para camuflar a assimetria nos braços. A sua maior inovação foi usar ímanes para os fechos. A Universidade de Ryerson estÁ actualmente à procura de parceiros industriais para colaborar na produção e distribuição da carteira e linha de vestuÁrio de Tullio-Pow e Barnwell.